Carlos Moraes/Estadão
Carlos Moraes/Estadão

Portela faz samba sobre a água e homenageia ícones da escola

Paulinho da Viola e Clara Nunes são lembrados em desfile quase perfeito

Mateus Fagundes, especial para o Estadão, O Estado de S.Paulo

28 Fevereiro 2017 | 05h52

SÃO PAULO - Na busca para quebrar o jejum de 33 anos sem título, a Portela procurou na própria história a inspiração para o ano de 2017. 'Foi um rio que passou em minha vida e meu coração se deixou levar' é o título do samba-enredo, que evoca a força das águas. É também um dos versos mais conhecidos de Paulinho da Viola, um dos ícones portelenses.

Outra lembrança no desfile foi a da cantora Clara Nunes. A cantora foi homenageada em uma ala e na letra do samba.

O desfile foi uma exceção na noite. Em uma madrugada marcada pelo acidente com o carro alegórico da Unidos da Tijuca e outros pequenos incidentes com outras escolas, a Portela teve uma execução quase perfeita - fruto da dedicação e do pulso firme do carnavalesco Paulo Barros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.