Lucio Bernardo Junior / Câmara dos Deputados
Lucio Bernardo Junior / Câmara dos Deputados

Carro de prefeito de Duque de Caxias é alvo de ataque a tiros

Veículo com quatro homens se aproximou e ocupantes começaram a atirar contra o carro onde estava Washington Reis

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

04 de janeiro de 2019 | 16h57
Atualizado 04 de janeiro de 2019 | 19h11

RIO - O prefeito de Duque de Caxias (Baixada Fluminense), Washington Reis (MDB), foi atacado a tiros por criminosos na tarde desta sexta-feira, 4. O carro em que ele estava foi alvo de tiros, mas nenhum atingiu Reis, que saiu ileso, assim como as pessoas que o acompanhavam.

O caso foi divulgado inicialmente, pela própria prefeitura, como um atentado. Depois, foi emitido outro texto, sem o termo. A prefeitura passou a considerar que o prefeito pode ter sido alvo de uma tentativa de roubo, sem que os criminosos soubessem quem era a vítima. A polícia confirmou o ataque, que será investigado pela 60ª DP (Campos Elíseos).

Segundo a prefeitura de Duque de Caxias, o prefeito fora visitar as obras de uma escola e de um posto de saúde que estão sendo construídos no bairro Cangulo. Ao voltar, por volta das 15 horas, quando a comitiva estava perto do Parque João Pessoa, um carro com pelo menos quatro homens se aproximou. Seus ocupantes começaram a atirar contra o veículo onde estava Reis.

Outro carro, onde havia seguranças e assessores do prefeito, também foi atingido pelos tiros. A prefeitura estima que tenham sido disparados 30 tiros.

Seguranças do prefeito reagiram, houve troca de tiros. A equipe do prefeito suspeita que um dos criminosos tenha sido atingido pelo menos de raspão. Mas todos fugiram sem que houvesse perseguição. A equipe do prefeito saiu ilesa.

"Fiquei muito preocupado com a integridade física da minha equipe de segurança. Estávamos em dois veículos, o meu era blindado, o da segurança, não. Eu estava no banco de carona. Quando os criminosos apareceram, houve troca de tiro com a minha segurança, foram mais de 30 tiros. O pneu do carro dos seguranças foi furado, no meu carro só atingiram a lataria”, contou o prefeito ao site G1.

Durante a tarde, policiais militares do 15º Batalhão (Duque de Caxias) iniciaram buscas pelo bairro Cangulo para tentar identificar suspeitos. Até o início da noite, porém, ninguém havia sido identificado nem detido.

Demissões

Na quarta-feira, 2, Reis demitiu por justa causa 25 servidores que foram flagrados dormindo durante o expediente na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque Beira-Mar. O flagrante foi feito pelo secretário municipal de Saúde, José Carlos de Oliveira.

A prefeitura não considera que o ato possa ser uma retaliação às demissões. O prefeito atribuiu o crime à “bandidagem” e disse que “a região é muito perigosa”. Reis quer autorização para que sua equipe de segurança use fuzil: “Vou pedir o acautelamento de um fuzil para a minha segurança. Na minha outra gestão, eu tinha um fuzil acautelado à disposição, mas não sei por que tiraram. Também vou pedir uma blindagem para o veículo da minha segurança porque ela fica muito vulnerável”, afirmou.

Reis cumpre seu segundo mandato como prefeito de Duque de Caxias. A primeira gestão ocorreu entre 2005 e 2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.