Foto: Google Street View
Foto: Google Street View

Prefeito e presidente da Câmara de Japeri, no Rio, são presos acusados de ligação com tráfico

Carlos Moraes Costa (PP) foi flagrado, por meio de escutas autorizadas pela Justiça, em diálogos com um traficante que seriam comprometedores.

 Constança Rezende, O Estado de S. Paulo

27 Julho 2018 | 11h14

RIO - O prefeito de Japeri, Carlos Moraes Costa (PP), foi preso nesta sexta-feira, 27, por suposta associação para o tráfico de drogas. A prisão foi feita a partir de uma denúncia do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, por meio da subprocuradoria-geral de Justiça de Assuntos Criminais.

Também foram emitidos mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão contra o presidente da Câmara Municipal de Japeri, Wesley George de Oliveira e o vereador Claudio José da Silva, ambos do PP.

De acordo com a denúncia oferecida pelo MP, o prefeito e os vereadores integravam o núcleo político de uma organização criminosa que domina o tráfico de drogas no Complexo do Guandu, em Japeri. Eles se aproveitariam do peso e prestígio de seus cargos para atuar em favor dos interesses criminosos, repassando informações privilegiadas aos criminosos. Além disso, o grupo, segundo o MP, fraudava licitações e desviava dinheiro público.

O prefeito foi flagrado, por meio de escutas autorizadas pela Justiça, em diálogos com um traficante que seriam comprometedores. Para as autoridades, as conversas conteriam indícios de comprometimento do político com a defesa dos interesses da organização criminosa. 

O traficante também já teria telefonado para o prefeito e para outras pessoas influentes do município. O objetivo seria interromper uma operação policial contra a realização de um baile funk promovido pelo trafico na localidade.

Segundo a denúncia, o vereador Claudio José, o Cacau, também já teria ligado para o traficante para se prontificar a ajudar em uma intervenção policial na comunidade. Nos diálogos judicialmente interceptados, fala-se que o lucro mensal do tráfico com essa atividade chegaria a R$ 100 mil.

O MPRJ também obteve junto ao Judiciário a suspensão do exercício da função pública do prefeito e dos dois vereadores.  

Também estão sendo cumpridos mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão contra 37 traficantes denunciados por integrarem a facção criminosa que controla a venda de drogas em favelas de Japeri.

O Estado não conseguiu localizar os advogados dos políticos presos para que comentassem as acusações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.