Tomaz Silva/Agência Brasil
Tomaz Silva/Agência Brasil

Prefeitura do Rio anuncia pagamento do 13º na próxima semana 

Os servidores que ganham até R$ 3 mil receberão o pagamento em suas contas na próxima segunda-feira, 23. Quem recebe acima disso receberá na sexta-feira, 27

Wilson Tosta e Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2019 | 21h38

RIO - O prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), anunciou nesta sexta-feira, 20, em vídeo divulgado nas redes sociais, que a segunda parcela do 13º salário dos funcionários municipais será paga na próxima semana. Os servidores que ganham até R$ 3 mil receberão o pagamento em suas contas na próxima segunda-feira, 23.

Quem recebe acima disso receberá na sexta-feira, 27. “Na semana que vem, o 13º salário será pago integralmente”, afirmou Crivella. O pagamento deveria ser sido efetuado na semana que se encerra neste sábado, 21.

Em outro vídeo, ao lado de Crivella, Paulo Mangueira, presidente da Comlurb (estatal que recolhe o lixo na cidade), anunciou o pagamento da segunda parcela do 13º salário dos garis. O prefeito elogiou a categoria, deu parabéns aos profissionais e lhes desejou um feliz Natal e próspero ano-novo. Os dois encerraram o vídeo com sinais de positivo com os polegares.

Na quinta-feira, 19, a prefeitura do Rio tinha anunciado que retomaria o pagamento de fornecedores. O procedimento tinha sido suspenso por causa do arresto da receita por ordem da Justiça, para pagar os vencimentos dos trabalhadores de saúde terceirizados. Empregados de organizações sociais (OSs), e com salários atrasados, eles entraram em greve.

Apenas a parte da rede operada por servidores continuava funcionando, mas sobrecarregada, por causa das unidades paradas. Com o pagamento, os trabalhadores decidiram voltar ao trabalho.

Recursos foram bloqueados

Na quinta-feira, 19, a Prefeitura do Rio teve repasses de R$ 313,57 milhões bloqueados por parte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Os bloqueios foram executados por causa da falta de pagamento de parcelas de seis contratos de empréstimo que o município tem com o banco. Os atrasos se acumulam desde setembro.

Segundo o BNDES, o débito atual da Prefeitura com o banco é de R$ 40,58 milhões, do quais R$ 33,27 milhões relativos a um contrato garantido pela União. A parcela não paga venceu na última segunda-feira, 16. Os bloqueios se referem ao total ainda devido.

Ao contrair os empréstimos junto ao BNDES, o município havia dado como garantia repasses que teria direito em tributos estaduais – ICMS e IPVA – e de repasses federais do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Há três meses, a Prefeitura vinha dando calote nos contratos com garantia de recursos do Estado. Agora, deixou de pagar também o que previa recursos do FPM.

Para assegurar o pagamento dos empréstimos, o BNDES reteve, até o momento, R$ 255,44 milhões (ICMS), R$ 14,38 milhões (IPVA) e  R$ 43,74 milhões (FPM). O Estado pediu posicionamento à Secretaria Municipal da Fazenda, mas até à noite de sexta-feira, 20, não obteve retorno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.