Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Wilton Junior / Estadão
Wilton Junior / Estadão

Prefeitura do Rio cogita 'fechamento completo' e feriados antecipados

Cidade está com lotação recorde nos leitos de UTI para covid-19 em hospitais públicos: quase 95% de ocupação

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2021 | 16h29

RIO - A prefeitura do Rio estuda o fechamento completo do comércio e das demais atividades, deixando apenas os serviços essenciais abertos, para tentar frear a transmissão de covid-19 no município. O prefeito Eduardo Paes (DEM) ainda não bateu o martelo quanto a isso, mas nesta sexta-feira, 19, vai anunciar novas restrições e essa pode ser uma delas. Outra decisão, esta praticamente certa, é antecipar os feriados de abril, criando uma semana inteira sem atividades públicas e particulares de 27 de março a 4 de abril.

Paes admitiu que estuda o “fechamento completo” durante entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira, 18, mesmo dia em que foi registrada lotação recorde nos leitos de UTI para pacientes de covid-19 em hospitais públicos do município: quase 95% das vagas estão ocupadas.

“A gente vai discutir a possibilidade, sim, de fechamento completo das coisas. A primeira medida (adotada a partir de 5 de março e que determinou o fechamento às 17h) foi dura demais com bares e restaurantes, mas provavelmente as próximas medidas que vão ser tomadas vão valer para todos os setores e atividades econômicas. Obviamente, menos para os essenciais”, afirmou o prefeito. Paes ressaltou que a decisão depende do Comitê Científico que reúne especialistas em covid-19 e auxilia a prefeitura na tomada de decisões quanto às restrições.

Paes admitiu que exagerou na restrição a bares e restaurantes, depois autorizados a funcionar até as 21h. “Houve um endurecimento excessivo com uma categoria econômica num primeiro momento, que foram bares e restaurantes. Mesmo com uma flexibilização, nós não temos mais visto as cenas (de aglomeração) que nós víamos no passado, então isso mostrou o acerto desse ajuste que eu fiz”, continuou o prefeito, referindo-se à permissão para funcionar até as 21h - depois desse horário, esses estabelecimentos podem funcionar com entregas.

“O mês de abril é um mês muito ruim para algumas atividades econômicas, porque é um mês com muitos feriados. A gente tem a Semana Santa, São Jorge e Tiradentes, então eu estou discutindo a possibilidade de antecipação desses feriados para os próximos dez, 15 dias, para que a gente possa ter um momento de interrupção da transmissão do vírus”, afirmou Paes, que depois escreveu no Twitter que “a antecipação dos feriados do mês de abril certamente será uma (das medidas)”.

Embora a reunião do prefeito com o Comitê Científico seja apenas na segunda-feira, 22, algumas restrições já devem ser anunciadas nesta sexta. Mas, se os dados indicarem agravamento da pandemia no Rio, novas medidas, ainda mais duras, podem ser adotadas a partir de segunda-feira.

Leitos de UTI no Rio

Nesta quinta-feira, os leitos de UTI para pacientes de covid-19 em hospitais públicos do município do Rio de Janeiro atingiram sua maior lotação desde o início da pandemia, em março do ano passado: quase 95% das vagas estão ocupadas. São 622 pacientes internados em UTI.

O prefeito garantiu estar atento a essa situação: “Nesse momento ainda existem leitos, mas está surgindo aquilo (o aumento de casos) que a gente vinha apontando há duas, três semanas, e estamos tomando medidas”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.