EFE/ Fernando Maia-RIOTOUR
EFE/ Fernando Maia-RIOTOUR

Prefeitura do Rio proíbe festas privadas na orla no réveillon

Em meio ao cenário de aumento de casos de covid-19, o Executivo carioca decidiu seguir o que já havia feito com as festas públicas e impedir as comemorações

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2020 | 15h00

   

RIO - A Prefeitura do Rio anunciou nesta quinta-feira, 17, que estão proibidas as festas privadas na orla da cidade durante o réveillon. Alguns quiosques costumam montar “cercadinhos” e realizar os eventos. Em meio ao cenário de aumento de casos de covid-19, o Executivo carioca decidiu seguir o que já havia feito com as festas públicas e impedir as comemorações. 

Segundo o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), que não se reelegeu, o momento é de “atenção redobrada à proteção das pessoas”, o que motivou a nova proibição.

O presidente da Orla Rio, João Marcello, corroborou o discurso. "A preservação da vida é o que mais importa nesse momento e, por isso, entendemos e respeitamos a decisão da Prefeitura do Rio de não autorizar a realização de eventos maiores em alguns poucos estabelecimentos”, disse. 

Não haverá, neste ano, a tradicional queima de fogos na praia de Copacabana, na zona sul, que costuma durar cerca de 15 minutos. Inicialmente, a Prefeitura chegou a cogitar fazer um evento com shows sem público, apenas para serem transmitidos. Depois, contudo, desistiu da ideia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.