MARCOS DE PAULA/ESTADÃO
MARCOS DE PAULA/ESTADÃO

Prefeitura do Rio quer mudar horário de blocos de Ipanema

Os desfiles devem acontecer das 7h ao meio-dia. Organizadores criticaram a mudança, que chamaram de arbitrária. Embate é mais um capítulo envolvendo a gestão Crivella e o carnaval na cidade

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2020 | 00h11

RIO - Cinco dias após promover à tarde um show anunciado como abertura do carnaval carioca que terminou em muita confusão em Copacabana (zona sul do Rio), a prefeitura do Rio anunciou nesta sexta-feira, 17, que dois blocos tradicionais da zona sul, a Banda de Ipanema e o Simpatia é Quase Amor, que sempre desfilaram à tarde, devem se apresentar neste ano no período da manhã.

Segundo a Empresa de Turismo do Município do Rio (Riotur), os desfiles devem acontecer das 7h ao meio-dia, no mesmo período em que outros blocos que também atraem muita gente, como o Chora Me Liga e o Bloco da Preta, desfilam no centro.

A determinação da prefeitura não foi bem recebida pelos organizadores dos dois blocos de Ipanema, que se manifestaram por meio de uma nota conjunta. “Não aceitaremos mudanças impostas sem qualquer consulta ou negociação e nem medidas de última hora que prejudiquem milhares de cariocas e turistas que procuram o Simpatia e a Banda de Ipanema apenas para brincar, cantar e se divertir de forma saudável”, diz o texto, que classifica a postura da prefeitura como “arbitrária, sem qualquer base, fundamento ou justificativa”.

O embate não é inédito: desde que assumiu o cargo de prefeito do Rio de Janeiro, em 2017, Marcelo Crivella (Republicanos), bispo licenciado e sobrinho do fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, vive em confronto com os blocos e as escolas de samba, devido a mudanças de regras para os desfiles dos blocos e ao fim da subvenção às escolas, por exemplo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.