Carlos Magno/Polícia Civil/Divulgação
Carlos Magno/Polícia Civil/Divulgação

Presa no ES mulher acusada de matar irmã, cunhado e sobrinha

Segundo investigação, Simone Gonçalves Resende teria encomendado a morte da familiar para não dividir uma herança de R$ 7 milhões

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

15 Março 2017 | 14h08

RIO - Acusada de ser a mandante do assassinato da irmã, do cunhado e da sobrinha, de 9 anos, Simone Gonçalves Resende, de 46 anos, foi presa em Mimoso do Sul, no sul do Espírito Santo, e transferida na manhã desta quarta-feira, 15, para o Rio de Janeiro. Ela estava foragida desde fevereiro.

Simone estava escondida no interior do Espírito Santo, na casa de um amigo, que é taxista e também foi preso por crime de favorecimento. A mulher estava com os cabelos tingidos de preto, o que os i nvestigadores consideram uma tentativa de dificultar ser reconhecida. Além dela e do taxista, outros três envolvidos estão presos, entre eles os filhos gêmeos da acusada, Matheus e Lucas Resende Kalil, presos em 23 de fevereiro.

O crime ocorreu em São Gonçalo, na Grande Rio, em 17 de fevereiro, vitimando a irmã e o cunhado de Simone, Soraya Gonçalves Resende, de 38 anos, e o advogado Wagner da Silva Salgado, de 43 anos, diretor da Ordem dos Advogados do Brasil, além da filha do casal, Giovanna Resende Salgado.

De acordo com a Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, as irmãs disputavam a herança deixada pelo pai, avaliada em R$ 7 milhões, o que inclui imóveis em Búzios, na Região dos Lagos, e um posto de gasolina. Segundo a investigação, Simone não aceitava dividir o dinheiro com Soraya, que é adotada. "Foi um crime cometido por ganância", afirmou o delegado Fábio Barucke.

Crime. Simone será ouvida ainda nesta quarta-feira e depois transferida para o Complexo Penitenciário de Gericinó. Em depoimento, Matheus disse que acompanhou os assassinos contratados pela mãe até a porta do prédio em que a tia morava. Ele, então, teria liberado a entrada dos criminosos no apartamento da avó, do qual eles teriam pulado uma janela e disparado contra a família. Soraya e Giovanna morreram no local. Salgado chegou a ser socorrido e levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Diego Moreira da Cunha, de 23 anos, acusado de ser um dos atiradores, foi preso em Araruama, na Região dos Lagos. Gabriel Botrel Miranda, de 19 anos, que também teria feito os disparos, está foragido.

Mais conteúdo sobre:
Crime Espírito Santo Rio de Janeiro Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.