Preso acusado de participar de assalto a Toledo Filho no Rio

Outro susposto traficante foi ferido e preso; o número 2 da hierarquia do tráfico no Morro do Borel foi morto

Fabiana Marchezi, do estadao.com.br,

07 Abril 2008 | 20h45

Rafael da Silva de Oliveira, de 23 anos, um dos indiciados pelo assalto que vitimou o ortopedista Lídio Toledo Filho, em dezembro do ano passado, foi baleado e preso no início da noite desta segunda-feira, 7. A prisão foi feita durante uma operação policial no Morro do Borel, na Tijuca, zona norte do Rio, que deixou mais um suposto traficante morto e outro ferido.  Segundo a Secretaria de Segurança Pública fluminense, Oliveira foi socorrido e custodiado no Hospital da Ordem Terceira da Penitência, junto com Diego de Assis Correia, de 22 anos, conhecido como Dieguinho. Segundo a polícia, Marcelo Félix de Souza, de 25 anos, conhecido como Marcelão, que seria o número dois da hierarquia do tráfico no morro, foi morto.  O caso foi registrado na 20ª Delegacia de Polícia, em Vila Isabel, e a custódia de Oliveira foi realizada pela 19ª DP, na Tijuca. A operação ainda apreendeu duas pistolas. Em fevereiro, a Polícia Civil do Rio anunciou ter prendido Thiago Monteiro Pinheiro e Diego Antunes de Souza, acusados de participar da tentativa de roubo a Toledo Filho, filho do ex-médico da seleção brasileira de futebol, Lídio Toledo.  Já no dia 3 de janeiro, a polícia apreendeu um jovem de 15 anos, que também é suspeito de disparar contra o carro de Toledo Filho. Ele foi encaminhado ao Juizado de Menores, após prestar depoimento. A tentativa de assalto O crime ocorreu na noite da véspera de ano novo, no Alto da Boa Vista, zona norte do Rio. Na ocasião, o ortopedista e sua mulher, a professora Cilene Trajano, foram baleados após reagirem ao assalto. Toledo Filho teve que realizar uma cirurgia na mandíbula, no dia 7 de janeiro, para a correção de um trauma causado por um dos tiros. O outro tiro que atingiu Toledo Filho provocou um lesão medular e o deixou paraplégico. Enquanto estava internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), os médicos constataram que o ortopedista havia contraíudo pneumonia. No dia 20 de fevereiro, Toledo Filho foi transferido da UTI do Hospital Samaritano, para uma unidade intermediária de tratamento.  Já sua mulher, sofreu uma fratura exposta no braço em conseqüência ao tiro que levou. Ela foi submetida a um enxerto ósseo e recebeu alta hospitalar no dia 19 de janeiro, segundo seu sogro. 

Mais conteúdo sobre:
Toledo Filhomédicoparaplégico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.