Produtora de TV é estuprada no Parque Nacional da Tijuca

Segundo vítima, criminoso é negro, tem entre 35 e 40 anos e usava luvas similares às de tratamento para queimaduras até o antebraço

Thaise Constâncio, O Estado de S. Paulo

06 Agosto 2014 | 17h28

RIO - Uma mulher não identificada foi estuprada por volta das 15 horas dessa segunda-feira, 4, nas imediações da Vista Chinesa, local de grande visitação turística, que integra o Parque Nacional da Tijuca. O caso foi registrado na 19.ª Delegacia de Polícia (Tijuca, zona norte), e a Polícia Civil já divulgou o retrato falado do suspeito.

De acordo com a vítima, que seria uma produtora de TV, o criminoso é negro, tem entre 35 e 40 anos, mede 1,80 metro e usava luvas similares às de tratamento para queimaduras até o antebraço.

Segundo a assessoria de imprensa do Parque da Tijuca, um irmão da vítima fez contato com a administração somente no dia seguinte, quando informou aos vigilantes da Guarita do Horto, na zona sul, sobre o crime. "Desde então o Parque tem prestado todo o apoio à polícia para que o caso seja resolvido o mais rápido possível", diz a nota.

Patrulhamento. A administração do local lamentou o crime e afirmou que "infelizmente, o Parque Nacional da Tijuca não está isolado do contexto de segurança pública da cidade, tendo inúmeros acessos diretos a partir de áreas urbanizadas". A segurança do parque, que tem 39,5 quilômetros quadrados de extensão, é compartilhada entre os governos federal, estadual (Polícia Militar) e municipal (Guarda Municipal), enquanto os vigilantes e monitores respondem pela conservação ambiental da área e pelo controle de acesso de veículos.

Mais conteúdo sobre:
Estupro Parque Nacional da Tijuca

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.