Professores em greve invadem secretaria no Rio

Eles reivindicam reajuste emergencial de 26% e incorporação imediata da gratificação "Nova Escola"

Tiago Rogero, estadão.com.br,

12 Julho 2011 | 16h27

Um grupo de cerca de 100 professores invadiu, por volta de 12h30 de hoje, o prédio onde funciona a secretaria estadual de Educação do Rio, no Centro da cidade. Houve confusão entre manifestantes e seguranças, e policiais militares chegaram a jogar spray de pimenta contra os professores.

 

Segundo o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio (Sepe), ninguém precisou de atendimento médico e a entrada do prédio não foi danificada. Após a confusão, um grupo de 50 manifestantes subiu para o 5ª andar do edifício, onde fica o gabinete do secretário de Educação, Wilson Risolia. Neste momento, os professores se reúnem com Risolia e também o secretário de Planejamento e Gestão, Sergio Ruy.

 

Do lado de fora do prédio, mais de mil manifestantes, segundo o Sepe, aguardam o fim da reunião. Os professores reivindicam reajuste emergencial de 26%, incorporação imediata da gratificação "Nova Escola", prevista até 2015, e descongelamento do Plano de Carreira dos funcionários administrativos.

 

No último dia 5, o governo aceitou incorporar as gratificações até 2012, já na folha de julho. Segundo a secretaria de Educação, a medida aumentaria os vencimentos em 9,6%. A secretaria informou que vai se manifestar novamente após o fim da reunião de hoje. Os manifestantes disseram que uma assembleia da categoria está marcada para a próxima sexta-feira.

Mais conteúdo sobre:
greve professores Rio de janeiro invasão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.