Wilton Junior/ Estadão
Wilton Junior/ Estadão

Profissionais e familiares de pacientes do Hospital Badim relataram incêndio nas redes

Imagens da tragédia também despertaram solidariedade e comoção em pessoas que atuam na área da saúde

Gabriela Marçal, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2019 | 13h13
Atualizado 13 de setembro de 2019 | 16h35

SÃO PAULO - Dez pessoas morreram e dezenas de pacientes tiveram que ser transferidos por causa do incêndio que atingiu o Hospital Badim, no Rio de Janeiro. A tragédia atinge diretamente a vida dos pacientes e profissionais que estavam no local nesta quinta-feira, 12, e impacta ainda a família dessas pessoas. 

Nas redes sociais, médicos e uma enfermeira que se identificaram como funcionários da unidade de saúde relataram como se sentiram e agiram durante a emergência:

Outros internautas que também afirmam fazer parte do quadro do hospital falaram sobre a preocupação com os colegas de trabalho e pacientes:

Uma usuária do Twitter relatou que acompanhava a mãe durante período de internação: 

 

 

O Hospital Badim foi fundado há 19 anos e internautas passaram anteriormente pelo estabelecimento, que faz parte do grupo Rede D’Or São Luiz, como pacientes, visitantes ou funcionários se sentiram tocados pelo desastre.
 

 

 

Pessoas que estavam na região e se tornaram voluntárias para dar assistência a sobreviventes do incêndio também contaram a experiência nas redes sociais.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Sabe quando você sente orgulho da profissão que escolheu?! Quando você tem certeza de que foi Deus que colocou você no lugar certo e na hora certa?! Então, ontem foi um dia como este. Estava indo correr no Maracanã quando vi uma movimentação, o instinto chamou, foi quando vi o caos. Passei pelo hospital logo quando os primeiros pacientes estavam sendo retirados. Funcionários desesperados, colchões sendo arremessados, pacientes na rua. Pessoas gritando. Chorando. Não poderia ficar inerte! E aí você se pergunta. O que fazer? Como ajudar?! Sou enfermeira e coloquei meus conhecimentos em prática. Mas não importa, somos todos um sistema só, uma engrenagem que roda com um combustível que se chama amor ao próximo. Perante o caos, vi a solidariedade! Todos juntos mobilizados em prol de vidas! Em prol do outro! Acalentado. Orientando. Transportando. Levando água. Abanando. Acalmando. Levando material. Carregando colchão. Não quero felicitações por ter feito minha obrigação como profissional e cidadã. Quero mostrar apenas que juntos somos mais fortes, que não importa quem esteja precisando, temos que dar sempre o nosso melhor. Parabenizo tooodos, todos que estavam ali ajudando de alguma forma, cidadão, equipe do hospital do adm ao médico, bombeiros, PMs, socorristas. Somos todos responsáveis pela vida destas pessoas! Cada um fez diferença para que o número não fosse mais alto! O máximo foi dado para que ninguém ficasse para trás, mas lamento pelos que partiram. Lamento muito. Peço a Deus que acalente o coração dos familiares! Aos meus alunos, quando digo que a verdadeira prova é na vida real, quando a situação está na nossa frente e precisamos agir, é disso que estou falando! Conhecimento nunca é demais quando se pretende fazer a diferença!

Uma publicação compartilhada por Anna Braga (@annacarolbraga) em

 

 

Incêndio no Hospital Badim desperta solidariedade em profissionais da saúde

Fotos e vídeos de médicos e enfermeiros colocando colchões e lençóis na rua para socorrer os pacientes sobreviventes do incêndio no Hospital Badim foram bastante compartilhados no Twitter, Instagram e Facebook durante a repercussão da tragédia. As imagens despertaram solidariedade em profissionais da saúde que comentaram a gravidade de se deparar com uma emergência dessa gravidade durante um dia de trabalho.

 

Curto-circuito no gerador causou incêndio no Hospital Badim

Segundo o hospital, um curto-circuito no gerador do prédio 1 da unidade de saúde provocou o início das chamas, que espalharam fumaça para todos os andares do prédio antigo. Uma pessoa teve a morte confirmada pelos bombeiros durante a noite e outras 10 pela Defesa Civil durante a madrugada e a manhã.

A direção expressou "profundo pesar" e informou que 103 pacientes estavam internados no local no momento do incêndio. Imediatamente, declarou o hospital, a brigada de incêndio iniciou a evacuação do prédio, mesmo antes da chegada do Corpo de Bombeiros.

"Desde o primeiro momento a prioridade total foi socorrer os pacientes e funcionários e salvar vidas. Mais de 100 médicos foram mobilizados para dar assistência aos pacientes que estavam sendo socorridos", acrescentou a direção. "Face a esse fato trágico, a solidariedade dos hospitais privados e das Secretarias Estadual e Municipal de Saúde está garantindo que os pacientes sejam transferidos."

De acordo com a Defesa Civil do Rio de Janeiro, o incêndio começou pouco antes das 18 horas desta quinta. A missão de resgate às vítimas se prolongou por toda a noite, a madrugada e ainda acontecia às 5 horas desta sexta. 

Segundo funcionários relataram à polícia, o incêndio teria começado em um prédio antigo onde funcionava o setor de laboratórios. Pacientes que estavam internados em áreas próximas tiveram de ser retirados às pressas. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.