Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Promotor diz que tiro que matou Eduardo partiu de PMs

Segundo ele, ainda não é possível dizer qual policial atirou, pois é preciso esperar perícia que ficará pronta em um mês

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

17 de abril de 2015 | 21h34

RIO - O promotor de Justiça Homero das Neves Freitas Filho, da 23ª Promotoria de Investigação Policial, responsável por acompanhar a apuração sobre a morte de Eduardo de Jesus Ferreira, de 10 anos, morto no último dia 2 no complexo de favelas do Alemão, na zona norte do Rio, afirmou nesta sexta-feira, 17, não ter dúvidas de que o disparo que matou o menino partiu da arma de um policial militar.

“Só não é possível dizer ainda qual dos dois PMs que admitiram ter atirado foi responsável por esse tiro. Isso o laudo pericial é que deve dizer”, afirmou Freitas Filho. Segundo ele, a perícia deve ficar pronta em um mês.

“Os policiais alegam que havia confronto com criminosos, e se havia ou não será possível concluir também com a perícia. Mas, aparentemente, a arma desses bandidos eram pistolas”, contou o promotor, que acompanhou a reconstituição da morte de Eduardo, nesta sexta. “Gosto de acompanhar a reconstituição, porque dá uma noção muito mais real da situação.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.