Quase 300 pessoas foram presas por urinar nas ruas do Rio

Dois cabos da Marinha do Brasil e um turista peruano estavam entre os detidos pelos fiscais da prefeitura

Agência Brasil,

17 de fevereiro de 2010 | 10h18

O número de pessoas presas por urinar nas ruas da cidade chegou a 277 no fim da tarde desta terça-feira, 16. Os fiscais da Secretaria Especial da Ordem Pública, da prefeitura, encarregados de fazer o controle urbano durante o carnaval detiveram na madrugada de terça-feira 17 pessoas fazendo xixi em público na Lapa, entre eles dois cabos da Marinha do Brasil e um turista peruano.

 

Veja também:

linkEscola campeã do Carnaval do Rio será conhecida nesta quarta

linkApós 15 anos, Rosas de Ouro é a campeã do Carnaval em SP

mais imagens Confira a galeria de fotos dos desfiles no Rio de Janeiro

mais imagens Veja galeria com as musas do carnaval no Rio e em SP

especialCobertura completa da folia na página especial

 

De manhã, durante o desfile do bloco Carmelitas, no bairro de Santa Teresa, foram presas 26 foliões. Todos os detidos foram conduzidos às delegacias da cidade sob a acusação de ato obsceno e enquadrados no Artigo 233 do Código Penal.

 

Os chamados "mijões" não são o único alvo dos fiscais do Choque de Ordem neste carnaval. Nas imediações do Sambódromo foram detidos na madrugada passada cinco cambistas que vendiam ingressos para o desfile das escolas de samba do Grupo Especial. Os cinco foram conduzidos à delegacia da área e tiveram os ingressos apreendidos.

 

Na Praia de Ipanema, outra equipe do Choque de Ordem recolheu hoje 30 barracas de acampamento que ocupavam irregularmente a faixa de areia entre os postos 8 e 9. As barracas eram usadas por ambulantes para estocar produtos vendidos nos desfiles de blocos carnavalescos, principalmente os programados para passar pela orla. As mercadorias apreendidas foram levadas para depósitos da prefeitura.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio de Janeiroprisaourinar nas ruas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.