Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Quatro pessoas morrem atingidas por balas perdidas no Complexo do Alemão

Tiroteio na comunidade Nova Brasília deixou ainda outros quatro feridos

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

16 Março 2018 | 23h09
Atualizado 17 Março 2018 | 11h30

RIO - Um menino de 1 ano e dois adultos (uma mulher e um homem) de 58 anos morreram atingidos por balas perdidas na favela Nova Brasília, no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, por volta das 21h de sexta-feira (16). Um suspeito também morreu. Outras quatro pessoas ficaram feridas, entre elas outro acusado de iniciar um confronto entre criminosos e policiais militares.

+++ Assessora disse não ter visto assassinos; polícia investiga 2º carro

Segundo a Polícia Militar, quatro homens armados com fuzis trafegavam pela avenida Itaoca, uma das principais da favela, em um Jeep Renegade branco quando avistaram uma viatura com policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fazendinha parada numa esquina. Eles começaram a atirar em direção aos policiais e houve revide. O grupo fugiu e a PM começou uma perseguição, durante a qual o tiroteio continuou.

+++ Alvo dos militares, Vila Kennedy expõe desafio na segurança no Rio

Seis pessoas foram atingidas por balas perdidas: a criança de 1 ano, identificada como Benjamin Novaes e baleada na cabeça quando estava em um carrinho de bebê; sua mãe, Paloma Maria Novaes, de 29 anos, ferida de raspão na barriga e em um braço; Maria Lúcia da Costa, de 58 anos; José Roberto da Silva, da mesma idade; Daniel Elias Amaral de Carvalho, de 26 anos, atingido na barriga; e um menino de 8 anos cujo nome não foi divulgado até a manhã deste sábado (17).

+++ Tiroteios no Rio migram da zona norte para a oeste

A criança e os dois adultos de 58 anos foram levados à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da comunidade e depois transferidas para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha (zona norte), mas morreram. Carvalho também foi socorrido nessa unidade de saúde, onde se submeteu a cirurgia. Todos os feridos receberam atendimento médico e não correm risco de morte.

Familiares de Benjamin contaram ao jornal “Extra” que Paloma ia com o filho buscar um vestido para uma festa que seria realizada neste sábado e parou para comprar algodão doce para Benjamin quando ele foi baleado.

Dois dos supostos atiradores também foram baleados. Um deles, cujo apelido é Carão, morreu no local. O segundo ferido foi preso e recebeu atendimento médico. Os outros dois conseguiram fugir. O veículo e um fuzil usados pelos criminosos foram apreendidos. O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios do Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.