AFP
AFP

Reconstituições no Alemão ocorrerão simultaneamente

Polícia apura mortes de Eduardo de Jesus Ferreira, Elizabeth de Moura Francisco e do ex-comandante de UPP Uanderson da Silva 

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

17 de abril de 2015 | 12h09

RIO - As três reconstituições previstas pela Polícia Civil para esta sexta-feira, 17, no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro, que apuram as mortes de Eduardo de Jesus Ferreira, de 10 anos, Elizabeth de Moura Francisco, de 40, e a do ex-comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) de Nova Brasília Uanderson Manoel da Silva, de 34, ocorrerão de maneira simultânea no conjunto de favelas, informou o titular da Delegacia de Homicídios, delegado Rivaldo Barbosa, pouco antes de deixar a Coordenadoria de Polícia Pacificadora e se dirigir para a reprodução simulada do menino Eduardo.

Ao todo, vão participar das três reproduções simuladas 120 policiais civis e oito delegados, além de 10 peritos criminais. O Ministério Público, a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro e a Polícia Militar, prestarão apoio.

"Não passaremos a mão na cabeça de ninguém", disse Barbosa. Segundo ele, não há "preocupação" da Polícia Civil com a situação de violência do complexo. "A comunidade tem nos aceitado."

Participarão da reconstituição de Eduardo a família do menino e os policiais militares envolvidos na ação que terminou em sua morte, no dia 2 de abril, na localidade do Areal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.