FABIO MOTTA/ESTADÃO
FABIO MOTTA/ESTADÃO

Ressaca marítima destrói calçadão em praia de Niterói

Na capital fluminense, vento chegou a 66km/h; tempo ficou nublado

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

28 Abril 2016 | 19h13

RIO - Parte da calçada ao longo da praia de Piratininga, em Niterói (Região Metropolitana do Rio), foi destruída pela força das ondas, no fim da madrugada desta quinta-feira, 28. Ninguém se feriu, mas o local precisou ser interditado. 

A ressaca marítima, causadora de ondas de até 3,5 metros de altura no litoral fluminense, começou na quarta-feira, 27, e deve se estender até sexta-feira, 29, segundo o Centro de Hidrografia da Marinha.

Segundo a Prefeitura de Niterói, a área em Piratininga, que há anos sofre com ressacas marítimas, será submetida a reformas que devem começar em setembro, porque antes será preciso definir a técnica mais adequada para o local.

Rio de Janeiro. A capital fluminense também registrou ressaca marítima, ventos de até 66 km/h e tempo nublado, com chuva fraca ocasional, nesta quinta-feira. Segundo o Centro de Operações da Prefeitura, a temperatura máxima registrada na cidade pelo sistema Alerta Rio foi de 24,5°C, às 10h30, na estação Barra/Riocentro (zona oeste), e a temperatura mínima foi de 16,6°C, medida às 15h45m no Alto da Boa Vista (zona norte). 

A maior sensação térmica foi de 25,4°C, na estação Barra/Riocentro, às 10h30. Segundo o Centro de Operações, durante a noite anterior a temperatura na cidade chegou a 19,9°C, às 23 horas. O tempo deve continuar nublado e frio nesta sexta-feira, 29.

Mais conteúdo sobre:
Piratininga [SP]

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.