José Lucena/Futura Press
José Lucena/Futura Press

Rio pode dar incentivos a atingidos por incêndio em shopping

Aproximadamente 40 lojas do Shopping Nova América, em Del Castilho, na zona norte da capital fluminense, foram danificadas

Vinicius Neder, O Estado de S. Paulo

17 de fevereiro de 2015 | 21h17

RIO - O secretário-executivo de coordenação da Prefeitura do Rio, Pedro Paulo Carvalho Teixeira, acenou nesta terça-feira, 17, com a possibilidade de oferecer incentivos fiscais para pequenos comerciantes atingidos pelo incêndio que destruiu, na segunda-feira, parte do Shopping Nova América, em Del Castilho, na zona norte do Rio. Cerca de 20% do shopping foi atingido, com aproximadamente 40 lojas danificadas, informou em nota a Ancar Ivanhoe, administradora do Nova América. Uma reunião às 15 horas desta quarta-feira, 18, avaliará danos e discutirá o apoio aos comerciantes.

Potencial candidato à sucessão do prefeito Eduardo Paes nas eleições de 2016, o secretário justificou a atuação da Prefeitura no caso, independentemente da decisão privada de cada empresário de fazer seguro ou não, citando o impacto econômico do centro comercial. "O Nova América é um ícone para aquela região da zona norte e é um empregador importante. A gente tem que olhar isso numa perspectiva maior. São pequenos negócios privados, mas a Prefeitura pode ajudar", disse Pedro Paulo, após participar de inspeção no local do incêndio. 


"A zona norte ficou muito tempo abandonada, quase como um cemitério econômico. Agora que ela começa a se erguer, um incêndio desse não pode abalar a recuperação econômica da região", completou o secretário, que, em sua campanha vitoriosa para deputado federal (PMDB) nas eleições do ano passado, destacava o fato de ter nascido no Cachambi, um dos bairros próximos do shopping.

No dia do incêndio, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, já dissera que traçaria um plano de concessão de linha de crédito para os comerciantes que tiveram os seus negócios afetados. Pedro Paulo afirmou ao Estado que o prefeito Paes deu carta branca para a secretaria discutir com empresários e governo do Estado o tipo de apoio. Podem ser oferecidos incentivos no pagamento de ISS e IPTU (tributos municipais) ou ICMS (estadual).

Segundo o secretário, além do balanço divulgado pela Ancar Ivanhoe, 78 lojas foram afetadas direta ou indiretamente pelo incêndio. Aí estão incluídos também estabelecimentos que não foram danificados, mas estão em corredores que terão que ser fechados. Onze lojas foram "lambidas" pelo fogo, disse Pedro Paulo.

Na nota, a administradora do shopping afirma que "o trabalho dos próximos dias será de limpeza das áreas atingidas pela água" e que ainda não há previsão para reabertura do centro comercial. Pedro Paulo informou que nesta quarta-feira haverá nova inspeção do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil. O incêndio não deixou vítimas.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio de Janeiroincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.