Rio reforça segurança no Morro dos Macacos depois de 6 mortes

Apenas uma vítima, de 20 anos, baleado no antebraço esquerdo, continua internado no Hospital do Andaraí

Roberta Pennafort, de O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2008 | 13h09

A segurança está reforçada no Morro dos Macados, em Vila Isabel, zona norte do Rio, um dia depois do tiroteio que resultou na morte de seis pessoas. Policiais do 3º e do 6º batalhões da Polícia Militar estão na favela. Não foram registrados novos confrontos neste domingo, segundo informou a PM.  No sábado, no início da manhã, traficantes do Morro do São João, no Engenho Novo, bairro próximo, tentaram tomar os pontos de vendas de drogas nos Macacos. O bando local revidou fortemente. Os moradores ficaram no meio do fogo cruzado. Quem vive ali perto também se assustou com o barulho de tiros e explosões de granadas.  Das seis pessoas que ficaram feridas no confronto (sendo dois menores), apenas uma, Leonardo Ferreira de Andrade, de 20 anos, baleado no antebraço esquerdo, continua internado no Hospital do Andaraí. Ele foi operado e seu quadro é estável. Os demais foram liberados no sábado mesmo. Entre os mortos, estão Creusa Alves de Souza, de 70 anos, moradora do morro atingida na cabeça dentro de casa, e o traficante Daniel Faria, da Rocinha, que estava nos Macacos. Na Rocinha, os criminosos decretaram luto - o bandido seria braço-direito do chefe do tráfico, Antônio Bonfim Lopes, o Nem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.