Rio retoma Encontro Folias de Reis após 23 anos

Trinta grupos com 20 integrantes, em média, se apresentaram neste domingo, animando os foliões

Alberto Komatsu, de O Estado de S. Paulo,

20 de janeiro de 2008 | 17h14

Marco D'Paula/AE   O centro do Rio retomou neste domingo, 20, uma antiga tradição cultural e religiosa que não era comemorada na cidade havia 23 anos, o "Encontro Folias de Reis", para celebrar o dia do padroeiro do Rio, São Sebastião. Eram 30 grupos com 20 integrantes, em média, que tocam seus instrumentos, como violão, viola, sanfona, reco-reco, chocalho e cavaquinho, mais personagens como os palhaços, que dançam fazendo acrobacias.   Todos os grupos também têm o mestre e contramestre para comandar os foliões, além dos três reis magos. Os foliões percorreram uma passarela, construída à frente dos Arcos da Lapa, com uma réplica da imagem de São Sebastião colocada em frente ao palco. Por 15 minutos, cantaram em devoção ao padroeiro do Rio.   "A Folia de Reis foi realizada até 1985 na Praia do Russel, na Glória (zona sul do Rio). Hoje, mesmo não sendo num lugar tão tradicional, tem uma importância muito grande", contou Eleonora Gabriela, da Companhia Folclórica do Rio, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).   Rita de Almeida, do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) é outra empenhada em manter a tradição. "Estamos fazendo força para que a folia seja realizada todos os anos", afirmou. Alexandre Barros, também da Companhia Folclórica do Rio, diz que o "Encontro Folias de Reis" era uma tradição portuguesa descrita como uma "dança barulhenta com homens vestidos de mulher".   Segundo Barros, a festa foi trazida ao Brasil pelos jesuítas que recriavam a viagem dos três reis magos orientados pela estrela guia, como forma de devoção e pagamentos de promessas. Waldecir Marcelino, de 69 anos, mestre do grupo "Estrela Nova do Oriente", de São Gonçalo (Grande Rio), participava das folias realizadas na Praia do Russel, e disse estar feliz com o retorno da festa.   "O mais importante de estarmos aqui é porque hoje é o dia de São Sebastião. Estamos homenageando ele, que é o nosso santo de devoção", afirmou. Seu grupo era composto por 17 integrantes, todos da Associação da Irmandade Reis de São Gonçalo, ligada à igreja católica. O primeiro grupo a se apresentar neste domingo, por volta das 14 horas, foi a "Folia de Reis da Sagrada Família da Mangueira". O evento estava previsto para terminar às 23 horas.

Tudo o que sabemos sobre:
Encontro Folias de Reis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.