Leonardo Berenger/Futura Press
Leonardo Berenger/Futura Press

Rompimento de dique atinge mil famílias em Campos-RJ

Defesa Civil pede para que a população se dirija a um morro, o ponto mais alto de Três Vendas

Solange Spigliatti - estadão.com.br,

05 Janeiro 2012 | 10h18

SÃO PAULO - Cerca de mil famílias do bairro Três Vendas, em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, estão sendo orientadas a deixar suas casas na manhã desta quinta-feira por conta do rompimento de um dique que represa as águas do Rio Muriaé. Cerca de quatro mil pessoas estão na área de risco de alagamento.

De acordo com a prefeitura, o secretário de Defesa Civil, Henrique Oliveira, orienta as pessoas para que se direcionem para locais mais altos. "Pedimos que as pessoas deixem suas casas e vão para os morros que ficam ao lado da localidade, que é  o ponto mais alto de Três Vendas. Pedimos também que o mínimo de gente fique no segundo andar de suas casas, dando prioridade à ida para os morros, já que o socorro chegará por lá", ressalta Henrique.

O dique, de acordo com a prefeitura, fica na Rodovia BR-356, que foi destruída, interrompendo o tráfego de veículos. O rompimento abriu uma cratera de 20 metros na rodovia. O ponto onde houve o rompimento do dique na BR-356 foi o mesmo trecho que foi rompido com as chuvas do ano de 2009, segundo a prefeitura. Após o rompimento em 2009, o local foi manilhado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit).

Rio Paraíba do Sul. Segundo a prefeitura, o transbordamento do Rio Paraíba do Sul, que atingiu 11 metros às 17h de ontem, deixou 175 famílias desalojadas. A ponte Barcelos Martins foi interditada e a Saturnino de Brito, da Lapa, funciona só no sentido Centro-Guarus. Na madrugada de hoje, o nível do Rio Paraíba do Sul estava estabilizado em 11,05 metros.

Mais conteúdo sobre:
dique rompimento Campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.