Thamyres (@thamygaldino)/Twitter/Reprodução
Thamyres (@thamygaldino)/Twitter/Reprodução

Rompimento de tubulação alaga região próxima ao Maracanã

Acidente provoca bloqueio de vias e congestionamento; Cedae afirmou que ainda não sabe causa e que técnicos foram ao local

Constança Rezende e Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

20 Abril 2016 | 12h02

RIO - Duas faixas da Radial Oeste no sentido Méier (zona norte do Rio) foram liberadas por volta das 14 horas desta quarta-feira, 20, horas depois da interdição causada pelo rompimento de uma tubulação da Companhia Estadual de Águas e Esgoto do Rio (Cedae).

De manhã, o rompimento abriu uma cratera de dois metros de profundidade e cerca de 24 metros quadrados. A Radial Oeste ficou alagada e teve de ser interditada nos dois sentidos. O congestionamento atingiu a Tijuca (zona norte) e o centro da capital fluminense.

Segundo a Cedae, uma válvula de segurança fechou automaticamente a tubulação assim que houve o rompimento, evitando desperdício maior de água. A companhia ainda não sabe a causa do rompimento nem informou quanta água foi desperdiçada. 

Conforme a empresa, 13 bairros podem ser atingidos pelo problema: Lins de Vasconcelos, Engenho Novo, Grajaú, Vila Isabel, Maracanã, Tijuca, Rio Comprido e parte do Andaraí (todos na zona norte), Cosme Velho, Laranjeiras, Botafogo, Urca, Leme e parte de Copacabana (zona sul). Mas é improvável que haja desabastecimento, porque outras tubulações abastecem essas regiões, diz a Cedae.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.