Polícia Militar do Rio de Janeiro
Polícia Militar do Rio de Janeiro

Roubo de carros termina em tiroteio na zona sul do Rio

Quatro adolescentes foram apreendidos após roubo de dois veículos e troca de tiros com policiais na Lagoa de Freitas; três ficaram feridos

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

04 Março 2018 | 19h18

RIO – Quatro adolescentes foram apreendidos após uma troca de tiros com policiais na madrugada deste domingo, 4, na Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul do Rio. Eles são acusados de roubar dois carros em Ipanema, perto do local da apreensão. Três jovens ficaram feridos após o tiroteio, mas não correm risco de vida. Os dois veículos foram recuperados.

+++ Tráfico da Vila Kennedy recoloca barricadas, cinco horas após ação de militares

Segundo a polícia, eles tinham entre 15 e 17 anos e estavam com duas pistolas. Foram interceptados por policiais do batalhão da PM do Leblon, na esquina da Avenida Borges de Medeiros com a Rua General Garzon. Na sequência, foram perseguidos pelos policiais, e teve início a troca de tiros. Os três feridos foram levados para o Hospital Miguel Couto, no Leblon. 

O grupo seria de uma favela da zona norte da capital fluminense. Após o roubo do primeiro carro em Ipanema, eles teriam abandado o veículo e roubado outro, ainda no bairro. Os ladrões seguiram em alta velocidade em direção à Lagoa, e então abordados por um carro da PM, mas conseguiram fugir.

Após a chegada de reforços policiais, os ladrões, encurralados, deixaram o veículo e começaram a fugir a pé, atirando contra os policiais. Na fuga, um dos adolescentes chegou a pular em um canal e a nadar, mas acabou capturado logo depois. 

Ocorrências. Os roubos de veículos vêm subindo no Estado do Rio desde o ano passado, conforme revelam os números do Instituto de Segurança Pública (Isp), braço estatístico da Secretaria de Segurança. O último boletim, divulgado na quarta-feira, 28, mostra um aumento de 25,7% deste crime em janeiro em relação a janeiro de 2017. 

+++ No Rio, ex-militares ensinam táticas de guerra do Exército a facções criminosas

Foram 5.286 ocorrências em 31 dias, o que dá uma média de 170,5 roubos diários. O patamar está muito mais alto do que o registrado durante o ano de 2016, quando foram cerca de 3.400 casos por mês, de acordo com o Isp.

Existe a suspeita de que os quatro adolescentes teriam participado também de assaltos a bares na região da zona sul, filmados pelo sistema de câmeras dos estabelecimentos. No sábado, houve um caso no bairro do Humaitá; na quinta-feira, no Flamengo. Em ambos, clientes ficaram sem bolsas, carteiras, alianças, cordões, relógios e telefones celulares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.