Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Secretário do Rio pede transferência de miliciano e traficante para presídios federais

Preso na terça-feira, 5, Gão é acusado de chefiar Liga da Justiça; já Marcelo Pezão é suspeito de comandar de dentro da cadeia tráfico

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

11 Agosto 2014 | 12h43

RIO - O Secretário de Estado de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, solicitou na manhã desta segunda-feira, 11, a transferência dos criminosos Marcelo Cardoso, o Marcelo Pezão, e Marcos José de Lima Gomes, o Gão, para presídios federais. 

Pezão foi preso em 2009 por tráfico de drogas. Na ocasião, foi acusado de ter comandado invasão no Morro dos Macacos, na zona norte do Rio de Janeiro, que teve seis mortos. Segundo investigações da Delegacia de Combate a Drogas (DCOD), Pezão chefiava, de dentro do presídio Bangu 3, o tráfico de parte das favelas da Vila Kennedy, na zona oeste, e vinha negociando a venda de drogas por meio de mensagens enviadas por visitas e advogados. Ele teria ainda contato com criminosos de São Paulo. Na sexta-feira, 8, a Polícia Civil prendeu 18 criminosos na Vila Kennedy e dois em Mauá, no ABC Paulista.

Miliciano. Na terça-feira, 5, a Divisão de Homicídios prendeu o ex-policial militar Marcos José de Lima Gomes, o Gão, acusado de chefiar a Liga da Justiça, maior e mais violenta milícia do Estado. Dois dias depois, 18 pessoas foram presas na Operação Tentáculos, coordenada pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco-IE). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.