WILTON JUNIOR/ESTADÃO
WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Segurança do Rio terá verba privada até 2018

Apoio será destinado a pontos do planejamento estratégico da pasta - um deles é a criação de grupamentos para áreas de lazer

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

11 de junho de 2015 | 21h59

RIO - Sem verba para investir em novos projetos, o secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, anunciou nesta quinta-feira, 11, ter acertado com empresários o financiamento de atividades programadas pela secretaria. Beltrame não revelou valores.

De acordo com o secretário, o apoio do empresariado será destinado a pontos do planejamento estratégico da secretaria até 2018. Um deles é a reforma de 200 motos da frota da PM.

Também está prevista a criação de grupamentos para atuação em áreas de lazer, como a Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul, a Quinta da Boa Vista e o Parque de Madureira, ambos na zona norte. A ideia é que policiais sem farda e sem armas letais circulem de bicicleta por esses locais. “Sempre fui defensor do policiamento a cavalo e de bicicleta”, disse o secretário, após gravação do programa da jornalista Miriam Leitão na GloboNews.

O grupamento da Lagoa - primeiro a ser constituído - custará R$ 450 mil em estruturas e equipamentos, disse. O número de policiais mobilizados não foi divulgado. Os equipamentos deverão ser adquiridos por empresários. “Apresento o custo do projeto da Lagoa, com as plantas arquitetônicas e os modelos de bicicleta. Eles compram do jeito que quiserem. Não quero dinheiro.”

Beltrame já teve três reuniões com empresários. As conversas podem levar ao financiamento de outros projetos.

Apesar dos episódios recentes de violência, Beltrame afirmou que não está perdendo o controle das UPPs. “O fato de as comunidades estarem ocupadas não significa que nunca mais vai se ouvir um tiro. Um secretário que prometer uma cidade limpa é mentiroso.” Ele anunciou ainda que, a partir de julho, o curso de formação de PMs aumentará de sete para dez meses, com foco em policiamento comunitário.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio de JaneiroJosé Mariano Beltrame

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.