Sem teto ocupam terreno em São Gonçalo

Segundo líder do grupo, cerca de 200 famílias estão acampadas na propriedade, que estaria abandonada há mais de trinta anos

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

01 de novembro de 2014 | 10h17

RIO - Mais famílias chegaram na manhã deste sábado, 1º, ao terreno ocupado na noite dessa sexta-feira por um grupo de sem teto, no bairro Jardim Catarina, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro.

Segundo Guilherme Simões, da coordenação do Movimento Trabalhadores Sem Teto (MTST), cerca de 200 famílias estão acampadas na propriedade de 60 mil metros quadrados. A ocupação foi transmitida em vídeo, ao vivo, na página do MTST no Facebook, que também publicou fotografias da chegada dos ocupantes.

O líder sem teto informou que, segundo  moradores da região, a área está abandonada há mais de trinta anos e que lá funcionou uma fábrica. Simões disse que não há informações no cartório de imóveis sobre o dono do terreno.

"Tentamos de todas as maneiras nos informar, mas não sabemos a quem pertence. Neste momento, estamos nos estruturando e no começo da semana vamos buscar abrir diálogo com as esferas públicas", afirmou.

Em nota distribuída na noite de ontem, o MTST informou que pretende "garantir a destinação do terreno para habitação popular e atender as famílias que compõem o déficit habitacional da cidade de São Gonçalo".

O Estado ainda não conseguiu informações da Polícia Militar e da prefeitura sobre a ocupação. Guilherme Simões informou que, até a manhã deste sábado, as famílias não foram procuradas por representantes do poder público. Com 1 milhão de habitantes, São Gonçalo é o segundo município mais populoso do Rio de Janeiro. O MTST diz que 10% dos habitantes da cidade não têm acesso a moradia.

Tudo o que sabemos sobre:
Sem tetoSão Gonçalo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.