Marcos Arcoverde/Estadão
Marcos Arcoverde/Estadão

Sob chuva, reforma de Cristo Redentor é entregue após 6 meses

O arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, benzeu o monumento; obra completa custou R$ 1,9 milhão e foi realizada por alpinistas

Thaise Constancio, O Estado de S. Paulo

11 de julho de 2014 | 11h05

Atualizada às 22h41

RIO - Após seis meses de reforma, o Cristo Redentor foi reinaugurado na manhã desta sexta-feira, 11, na zona sul do Rio. Debaixo de chuva, o cardeal d. Orani Tempesta deu sua bênção ao monumento, acompanhado pelo padre Omar Raposo, pároco do Santuário do Cristo, e por Paolo dal Pino, presidente da Pirelli América Latina, empresa patrocinadora da reforma.

A obra completa custou R$ 1,9 milhão e foi realizada por 38 alpinistas depois que o monumento foi atingido por um raio em janeiro. Foram restaurados os dedos médio, indicador e polegar da mão direita, quatro pontos na cabeça e o novo sistema de para-raios do monumento - e o do platô foi instalado.

"Não houve mudança estética e essa reforma vai garantir a segurança do monumento e, principalmente, dos turistas que vêm visitar e rezar", disse d. Orani. Em 2010, o monumento foi completamente recuperado, em uma obra que durou quatro meses.

A restauração deste ano deveria ter terminado no início de junho, mas foi prolongada pelas más condições climáticas da cidade. "As chuvas atrapalharam bastante, porque tudo é feito de rapel e, quando venta, temos de parar por segurança", explicou Clézio Dutra, chefe dos alpinistas. Há oito anos trabalhando no Cristo Redentor, ele acrescentou que a aprovação do aumento dos captores de raios pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) durou quase um ano.

Campanha. Também foi lançada nesta sexta a campanha Olhar do Cristo. Quatro câmeras foram instaladas na cabeça do Cristo: duas para captar imagens em tempo real da zona sul (da Enseada de Botafogo à Lagoa Rodrigo de Freitas) e outras duas que formam um microvídeo da Baía de Guanabara e dos turistas no platô.

Um assistente do projeto aciona as câmeras e as fotos são enviadas para a plataforma olhardocristo.pirelli.com.br e para as redes sociais (Instagram, Facebook, Twitter e e-mail) das pessoas fotografadas. Inicialmente, a campanha durará 20 dias, mas a intenção é que ela seja permanente.

Em pedra-sabão, o Cristo foi inaugurado em 1931 no Mirante do Corcovado, ponto de observação desde o século 19. A estátua é uma das sete maravilhas do mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.