Defesa Civil/Divulgação
Defesa Civil/Divulgação

Sobe para 19 o número de mortos pelos temporais no Rio

Bombeiros localizam mais dois corpos em escombros em Angra dos Reis, onde as vítimas fatais já são dez; em situação de emergência, município cancela carnaval e festas oficiais

Rayanderson Guerra, O Estado de S.Paulo

04 de abril de 2022 | 09h30
Atualizado 04 de abril de 2022 | 20h47

RIO - Os temporais que atingiram o Rio de Janeiro na semana passada já causaram a morte de 19 pessoas, incluindo crianças e adolescentes, entre quinta-feira, 31, e sábado, 2, em todo o estado. Em Angra dos Reis, na região da Costa Verde, no litoral sul, dois corpos foram localizados em escombros pelo Corpo de Bombeiros na madrugada desta segunda-feira. O número de vítimas fatais no município subiu para dez, de acordo com a Defesa Civil. 

A causa das mortes foi um deslizamento em Monsuaba, que atingiu quatro casas. Entre as vítimas, há pelo menos quatro pessoas da mesma família. Um morador desaparecido ainda é procurado. Em Paraty, também na Costa Verde, outras sete pessoas da mesma família morreram: uma mãe e seis filhos. Uma criança da mesma família sobreviveu. Um homem morreu em Mesquita, na Baixada Fluminense.

Os bombeiros ainda buscam cinco desaparecidos no sul do estado, quatro em Angra dos Reis e um em Paraty. Um menino resgatado com vida pelo Corpo de Bombeiros na cidade  foi internado em estado gravíssimo no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, na Baixada. De acordo com a prefeitura de Duque de Caxias, o garoto respira com a ajuda de ventilação mecânica no Centro de Tratamento Pediátrico.

A prefeitura de Paraty decidiu antecipar o recesso escolar de meio de ano para o período de 4 a 18 de abril. A cidade também cancelou a Fest Juá, o Encontro de Ceramistas e o carnaval fora de época previsto para este mês. Em Angra dos Reis, 314 pessoas estão em pontos de apoio abertos pela prefeitura. A cidade está em situação de emergência.

Segundo a prefeitura de Paraty, 219 famílias foram atingidas por alagamento ou perdas materiais, em 22 bairros. Há 15 famílias abrigadas em escolas municipais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.