Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Soldado é baleado na mão em operação das Forças Armadas e da polícia em Niterói

Vítima foi ferida durante um cerco das Forças Armadas na comunidade de Ititioca; houve reação dos criminosos, que trocaram tiros

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

16 Agosto 2017 | 12h03

RIO - Um soldado das Forças Armadas foi baleado na mão durante a operação em conjunto das Forças Armadas e as polícias civil e militar, na manhã desta quarta-feira, 16, em comunidades de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro. De acordo com o coronel Roberto Itamar, porta-voz do Comando Militar do Leste (CML), o soldado recebeu atendimentos médicos e passa bem.

Até às 11h50, 21 dos 26 mandados de prisão haviam sido cumpridos. Destes, 12 pessoas foram presas, oito já estavam em carceragens e um adolescente foi apreendido. Seis carros roubados foram recolhidos. Até o momento, a Secretaria ainda não divulgou informações sobre armamento apreendido.

Segundo Itamar, a vítima foi ferida durante um cerco das Forças Armadas na comunidade de Ititioca, em Niterói. Houve reação dos criminosos, que trocaram tiros com o exército. O porta-voz do CML não quis divulgar o nome nem a idade do soldado ferido, "pois aguarda o laudo médico e entrar em contato com a família da vítima".

Durante a operação, policiais do Batalhão de Operações Especiais da PM (Bope) encontraram barricadas feitas por criminosos em vias de acesso às comunidades, montadas com trilhos e cimento. Um trator teve que ser utilizado para remover os objetos.

O objetivo da operação é cumprir 26 mandados de prisão preventiva, dois de apreensão de adolescentes e 34 de busca e apreensão. A ação faz parte do Plano Nacional de Segurança para combater o crime organizado no Estado.

O Exército e Marinha estão atuando com um efetivo de 2,6 mil homens, responsáveis pelo cerco de pontos estratégicos. Algumas ruas estão interditadas e os espaços aéreos controlados, com restrições para aviões civis, mas sem interferência nas operações dos aeroportos Santos Dumont e Internacional do Galeão.

Dois helicópteros, uma da Marinha e outro do Exército, e 33 blindados dão apoio às ações, além de 120 viaturas de transportes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.