STJ dá liberdade a acusado de agredir doméstica no Rio

Direito foi concedido porque ficou provado que Felippe de Macedo Nery Neto não saiu do carro que os jovens ocupavam e tampouco agrediu Sirlei

FELIPE MAIA, Agencia Estado

28 Agosto 2007 | 20h36

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu nesta terça-feira, 28, habeas-corpus a Felippe de Macedo Nery Neto, um dos cinco jovens acusados de agredir a empregada doméstica Sirlei Dias de Carvalho Pinto, na zona oeste do Rio, em junho deste ano. A decisão do ministro Nilson Naves foi tomada em caráter liminar e vale até que o mérito do habeas-corpus seja julgado pelo plenário do tribunal. Ainda não há prazo para que isso ocorra e até lá ele poderá responder ao processo em liberdade.   O ministro do STJ concedeu esse direito a Felippe pelo fato de, durante os interrogatórios, ter ficado provado que ele não saiu do carro que os jovens ocupavam e tampouco agrediu Sirlei. "Assim, ao menos até aqui, sua participação no ocorrido não se teria dado da mesma forma como a dos demais co-denunciados", afirma o ministro, em nota. Além disso, Felippe, segundo o ministro, compareceu espontaneamente à delegacia para depoimento e colaborou com as investigações.   Na madrugada de 23 de junho, cinco jovens de classe média alta teriam agredido e roubado a doméstica em um ponto de ônibus da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio. Ela sofreu escoriações no rosto e fraturou o braço direito. Segundo a assessoria do STJ, outros dois pedidos de habeas-corpus tramitam no tribunal, referindo-se a Rodrigo dos Santos Bassalo da Silva e Julio Junqueira Ferreira, também acusados do crime. Não há prazo para julgamento desses pedidos. Também teriam participado da agressão Leonardo Pereira de Andrade e Rubens Pereira Arruda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.