Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Homem é linchado após atacar bebê na Rocinha

Agressor foi amarrado e espancado até a morte; ele era vizinho da família e também esfaqueou a mãe e a irmã da criança

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

20 de julho de 2015 | 11h56

Atualizado às 21h53

RIO - Após esfaquear um bebê de 1 ano e dez meses, Newton Costa Silva, de 40 anos, foi amarrado e espancado até a morte por moradores da Favela da Rocinha, na zona sul do Rio, na madrugada desta segunda-feira, 20. A criança, atingida na cabeça, está na UTI de um hospital na zona norte. O agressor era vizinho da família do bebê, e ainda esfaqueou a mãe e uma irmã da criança, de 2 anos e dez meses. Ambas receberam atendimento médico e passam bem. As circunstâncias das agressões não haviam sido esclarecidas até a noite desta segunda.

Policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha encontraram Silva na Estada da Gávea (via que cruza a favela), amarrado com fios e com ferimentos espalhados pelo corpo - até vergalhões de ferro foram empregados no linchamento. Levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea (zona sul), ele morreu horas depois.

O bebê foi levado por parentes para o mesmo hospital, onde passou por cirurgia neurológica. Em seguida, foi transferido para o hospital Prontobaby, na Tijuca, zona norte. A mãe, de 27 anos, que não teve o nome divulgado pela Polícia Civil, sofreu cortes no queixo e na cabeça, mas já está em casa. A menina sofreu um corte na cabeça, mas está bem.

O caso está a cargo da Delegacia de Homicídios (DH) da capital após a confirmação da morte de Silva, que seria usuário de drogas. Se os responsáveis pela agressão forem identificados, poderão ser indiciados por homicídio doloso (intencional).

Outros casos. No último dia 6, um suspeito de roubo foi linchado em São Luís (MA). Dois dias depois, Daniel Jesus de Aquino, de 31 anos, foi flagrado durante tentativa de assalto, amarrado e espancado em Senador Camará, na zona oeste do Rio. Ele não morreu porque a Polícia Militar chegou a tempo. O rapaz, que já tinha outras oito passagens pela polícia e esteve na cadeia até o dia 3, recebeu atendimento médico e está preso.

Na sexta, Rodrigo Silva Pereira, de 29 anos, tentou assaltar uma mulher em Guapimirim (na região metropolitana do Rio), foi dominado e agredido. Até esta segunda, nenhum agressor havia sido identificado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.