Suspeito de roubar turista italiano se entrega à polícia do Rio

Quatro dias depois da polícia subir o morro em busca de assaltante, Rodrigo Carvalho Cruz vai à Polinter

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

26 de novembro de 2007 | 11h54

Rodrigo Carvalho Cruz, de 20 anos, suspeito de causar a morte do turista italiano Giorgio Morasse, de 29 anos, no dia 19, em Ipanema, se entregou na manhã desta segunda-feira, 26 à Polícia do Rio de Janeiro. Rodrigo se entregou na Polinter-Divisão de Capturas, na zona Portuária da cidade. Ele deve ser encaminhado à Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat), até a tarde desta segunda para prestar depoimento. Cruz chegou à Polinter acompanhado por um pastor evangélico. Morasse perseguiu o assaltante, que estava de bicicleta. Os dois caíram no asfalto e Giorgio morreu atropelado por um ônibus. No assalto, o cordão de ouro do pai da vítima, Graziano Morassi, foi roubado.  Na sexta-feira, cerca de 150 policiais fizeram uma operação nas Favelas Cantagalo e Pavão-Pavãozinho, em Ipanema, em busca do assaltante do italiano. Houve intensa troca de tiros e moradores da área entraram em pânico.  Agentes da Coordenadora de Recursos Especiais (Core), da Delegacia de Atendimento ao Turista (Deat), de duas delegacias da zona sul e do Batalhão da PM do Leblon começaram a subir ao morro às 10 horas. Eles foram recebidos a tiros. Os criminosos chegaram a jogar uma bomba caseira contra os policiais, que não explodiu. Motoristas que passavam pela Rua Teixeira de Melo chegaram a abandonar seus carros, por medo do tiroteio. Não houve feridos, segundo a polícia. Durante a operação, os policiais detiveram seis pessoas, mas não encontraram Cruz, que, quatro dias depois, se entregou.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.