Divulgação
Divulgação

Suspeito de tentar roubar ônibus com metralhadora é morto na Av. Brasil

Homem que reagiu à abordagem desceu do coletivo e desapareceu antes da chegada da polícia; caso aconteceu em veículo da Viação Tinguá

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

26 Outubro 2016 | 13h11

RIO - Armado com uma submetralhadora capaz de disparar 550 tiros por minuto, um homem invadiu um ônibus na Avenida Brasil, na altura de Bonsucesso (zona norte do Rio), na manhã desta quarta-feira, 26, anunciou um assalto e acabou baleado e morto por um passageiro que também estava armado. A arma do acusado estava sem munição. O passageiro desceu do ônibus e não havia sido localizado até a noite desta quarta. Segundo testemunhas, ele seria policial, mas estava à paisana.

O episódio começou por volta das 6h40, quando um rapaz tentou embarcar em um ônibus da Viação Tinguá que fazia a linha 493 (Ponto Chic-Central). Essa linha liga Nova Iguaçu ao centro do Rio e, naquele momento, o veículo trafegava pela Cidade Alta, em Cordovil (zona norte), rumo ao centro do Rio.

Como estava visivelmente alterado e começou a forçar a porta assim que o veículo parou, o condutor decidiu não abrir. Mas o rapaz foi à porta traseira, por onde passageiros desembarcavam, e entrou no veículo.

Segundo testemunhas, assim que ingressou, o homem começou a incomodar outros passageiros e teria ameaçado agredir uma mulher. Mas até então não havia anunciado o assalto, e a viagem seguia. Dez minutos depois, quando o veículo já estava em Bonsucesso, ele exibiu a arma e anunciou o assalto. 

Imediatamente, um passageiro que também estava armado atirou pelo menos duas vezes no assaltante, atingido no peito. O rapaz morreu antes de ser socorrido, e o passageiro desembarcou e foi embora antes de ser identificado.

Pânico. Os passageiros entraram em pânico. André Luiz Machado, que comemorou nesta quarta seu aniversário de 44 anos, estava no ônibus a caminho da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), onde trabalha. “Foi desesperador na hora, assustador. Agora vou voltar para casa, ver os meus filhos e descansar. Hoje é meu aniversário e nasci de novo”, disse ao jornal O Dia. Foi o segundo assalto sofrido na linha de ônibus por Machado em três meses. O anterior aconteceu quando o veículo estava na Via Dutra.

Investigadores da Delegacia de Homicídios do Rio foram ao local e apreenderam a arma usada pelo assaltante: uma Taurus MT-12, arma fabricada no Brasil sob licença da italiana Beretta. Fabricada desde 1959 na Itália, a versão brasileira começou a ser usada pelas Forças Armadas do País em 1974, e foi adotada também pela Polícia Militar em vários Estados. Embora hoje o modelo seja considerado ultrapassado, razão pela qual sua fabricação foi interrompida, é uma arma potente. 

“A gente espera pistola, revólver, faca, mas metralhadora, nunca”, afirmou um dos passageiros que testemunharam a tentativa de roubo. A polícia ainda não sabe como o assaltante conseguiu a metralhadora. O uso de armas mais potentes pelos criminosos no Rio é um temor da polícia fluminense há alguns meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.