Tati Quebra Barraco acusa PM de matar seu filho na Cidade de Deus

Filho da cantora foi morto na Cidade de Deus, na zona oeste da cidade

Constança Rezende e Vinicius Neder, O Estado de S. Paulo

11 Dezembro 2016 | 10h06
Atualizado 11 Dezembro 2016 | 15h24

RIO - O filho da funkeira carioca Tati Quebra Barraco, Yuri Lourenço da Silva, de 19 anos, foi morto durante um patrulhamento da polícia na madrugada deste domingo, 11, na favela Cidade de Deus, na zona oeste do Rio. Outro homem que estava com Yuri, Jean Rodrigues de Jesus, de 22 anos, também morreu no confronto. A cantora usou as redes sociais para acusar a Polícia Militar (PM) pela morte.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, Yuri chegou morto, com um tiro no rosto, no Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, também na zona oeste. Jean chegou a dar entrada no centro cirúrgico, mas não resistiu.

O comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Cidade de Deus informou que policiais patrulhavam uma localidade conhecida como Quintanilha, no início da madrugada deste domingo, quando foram recebidos a tiros por criminosos. “Dois homens foram baleados e socorridos para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Uma pistola, dois rádios transmissores e drogas foram apreendidos no local do confronto”, disse, em nota, a Coordenação das UPPs.

A Delegacia de Homicídios da Capital da Polícia Civil informou que instaurou procedimento para apurar as mortes de Yuri e Jean. “Investigação minuciosa está sendo realizada para apurar as circunstâncias do ocorrido”, diz uma nota divulgada pela assessoria de imprensa da Polícia Civil.

Yuri tinha passagens pela polícia. Em setembro, ele foi condenado por furto qualificado, ocorrido em novembro de 2015. Yuri e um adolescente foram pegos em flagrante após furtar um fone de ouvido, avaliado em R$ 400, da loja Fnac no BarraShopping, na zona oeste do Rio. Conforme a sentença, os jovens foram abordados por seguranças da loja. Yuri foi condenado a dois anos de serviços comunitários. A sentença também autorizou que o jovem recorresse em liberdade. O Estado apurou que o jovem tinha outras passagens, sempre por furto ou roubo, quando era adolescente.

Tati Quebra Barraco acusou a PM em sua conta no Twitter. “A PM tirou um pedaço de mim que jamais será preenchido”. “A PM matou meu filho. Essa dor nunca irá cicatrizar”, escreveu Tati. Em sua conta no Facebook, a funkeira disse que estava em Belo Horizonte na noite de sábado, onde fazia um show.  Tati contou que foi informada da morte do filho no meio da apresentação. “Como deve ser pra você receber uma mensagem, ligação em meio ao show dizendo que seu filho está morto?”, questionou a cantora no relato. 

“Eu não pude parar o que dei início. Tinha fãs, públicos, o fotógrafo da casa, tinha um contrato assinado. Então tive que terminar o show da boate Eleganza com um sorriso no rosto, sem quê, ninguém percebesse. Mas não fui forte o tempo todo, desabei!”, continuou Tati.

Mais conteúdo sobre:
Polícia Militar Cidade de Deus Twitter

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.