Táxi roubado no Rio percorre mais de 30 km na contramão

Assaltante só abandonou o veículo depois de bater contra o meio-fio e conseguiu escapar; carro bateu contra pelo menos três veículos

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

01 de julho de 2014 | 19h21

RIO - Um táxi roubado percorreu na contramão a Ponte Rio-Niterói, e depois trafegou por mais 30 quilômetros no sentido contrário aos carros pela Avenida Brasil e pela Rodovia Washington Luiz. O assaltante só abandonou o veículo depois que a roda empenou, quando ele bateu contra um meio-fio, próximo ao Hospital de Saracuruna, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Um motorista que passava pela Ponte filmou o momento em que o criminoso avançou contra outros carros - ele bateu em pelo menos três veículos.

O táxi foi roubado na Avenida Almirante Barroso, em frente ao número 52, no Centro do Rio, na madrugada desta terça-feira, 1º. O taxista João Cavalcante Sobrinho, de 65 anos, foi rendido por um homem e reagiu. Depois de uma breve luta, em que Sobrinho chegou a acertar o criminoso na cabeça com um pedaço de pau que levava no carro, o homem conseguiu arrancar e deixou o taxista para trás, caído no asfalto.

O assaltante seguiu para Niterói, mas antes da praça do pedágio fez um cavalo de pau e retornou ao Rio pela contramão. AS imagens publicadas na internet mostram o momento em que dois guinchos da concessionária que administra a Ponte são posicionados para fazer uma espécie de barreira, mas o assaltante passa com o táxi por entre os veículos. O criminoso "desafia" os motoristas e muitos deles são obrigados a dar marcha à ré a fim de dar passagem ao táxi.

A CCR Ponte acionou a Polícia Rodoviária Federal e "deu início a um comboio, no intuito de evitar colisões frontais, mas o veículo desrespeitou a sinalização e seguiu sentido Avenida Brasil", informa a empresa em nota à imprensa. A concessionária usou ainda semáforos e painéis de mensagem para alertar os motoristas.

João Sobrinho soube ainda na madrugada que seu carro tinha sido localizado. "Os policiais federais disseram que ele andou o tempo todo na contramão. Não sei se houve falha, mas no mínimo o Rio está 'despoliciado', porque ninguém parou o assaltante", afirmou Sobrinho, taxista há 35 anos. "Nunca tinha sido assaltado assim. Já perdi uns trocados. Mas não dessa maneira". Sobrinho ainda não calculou o prejuízo.

A Polícia Rodoviária informou que perseguiu o táxi roubado na Ponte, mas o assaltante conseguiu escapar pelo acesso da Avenida Brasil. A PRF não confirmou a informação de que ele dirigiu até Duque de Caxias pela contramão. Na Avenida Brasil, o policiamento fica a cargo do Batalhão de Policiamento de Vias Expressas, da Polícia Militar. A PM informou que o Batalhão de Policiamento de Vias Expressas (BPVE) não foi acionado para a ocorrência. A assessoria de imprensa lembrou que o patrulhamento é dinâmico. "É possível que os policiais estivessem patrulhando outro ponto".

Mais conteúdo sobre:
Rioassalto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.