Reuters
Reuters

Taxistas fazem protesto contra Uber na frente da casa de Rodrigo Maia no Rio

Nesta terça, presidente da Câmara dos Deputados decidiu enviar para comissão especial proposta que dá exclusividade aos taxistas no transporte de passageiros em todo o País

Constança Rezende, O Estado de S. Paulo

14 Dezembro 2016 | 13h25

RIO - Um grupo de taxistas realizou um protesto na madrugada desta quarta-feira, 14, em frente ao prédio onde mora o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em São Conrado, zona sul do Rio. Eles soltaram fogos de artifício, gritaram palavras de ordem e cantaram o Hino Nacional. O objetivo era pressionar o parlamentar pela aprovação do projeto de lei que proíbe o Uber no País. 

Na terça-feira, 13, Maia decidiu enviar para uma comissão especial a proposta que dá exclusividade aos taxistas no transporte de passageiros em todo o Brasil. O colegiado só começará a funcionar em 2017 e terá até o dia 30 de março para apresentar relatório.

Parlamentares chegaram a fazer pressão pela análise do requerimento de urgência para incluir a proposta na pauta do plenário, mas não houve acordo. O clima de confronto na Câmara impediu a votação da proposta.

"A gente dá uma resposta à sociedade, deixando claro o prazo de trabalho da comissão. Assim, nenhum taxista vai sair achando que vota este ano e há tempo para uma comissão formal apresentar um relatório. A partir daí, vai a voto", argumentou Maia, na ocasião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.