Reprodução/Google Street View
Reprodução/Google Street View

Tentativa de roubo de carga causa morte do 42º PM neste ano no Rio

Policial estava de folga e fazia bico em São Gonçalo escoltando caminhão; colega foi ferido e está internado. Em Duque de Caxias, outro PM foi baleado

O Estado de S.Paulo

04 Maio 2018 | 17h17
Atualizado 04 Maio 2018 | 19h15

RIO - Uma tentativa de roubo de carga na manhã desta sexta-feira, 4, em uma rodovia que passa por São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, terminou com a morte de mais um policial militar, o 42º assassinado neste ano no Estado do Rio.

O cabo Eduardo da Conceição Rosa, de 34 anos, trabalhava no 5º Batalhão (Praça da Harmonia), no Rio, mas estava de folga e, acompanhado por outro PM na mesma situação, fazia bico escoltando um caminhão de uma loja de eletrodomésticos.

++ Denúncias de estupro crescem no Estado do Rio

Quando o caminhão passava pela rodovia Niterói-Manilha, na altura de Itaúna, em São Gonçalo, assaltantes abordaram o veículo para roubar a carga. Houve troca de tiros e os dois PMs foram baleados. Ambos foram levados ao Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, onde Rosa acabou morrendo. Ele era casado e estava na corporação desde 2008. O outro PM, que foi atingido nas costas, permanece internado.

Os assaltantes fugiram e não haviam sido identificados até a noite desta sexta-feira. O caso é investigado pela 72ª DP (São Gonçalo).

++ Seis são mortos durante megaoperação na Cidade de Deus

Em Duque de Caxias (Baixada Fluminense), outro policial militar foi baleado na manhã desta sexta-feira, mas sobreviveu. Segundo a PM, o policial estava de folga e trafegava pela Avenida Leonel de Moura Brizola, no bairro Pilar, quando foi abordado por dois assaltantes em uma moto. 

O PM tentou fugir, mas acabou atingido por dois disparos, um no pulso esquerdo e outro na cabeça. Ele foi levado ao Hospital Municipal Moacir do Carmo, onde chegou lúcido, e depois foi transferido para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, onde permanecia até a noite desta sexta-feira. Os assaltantes fugiram sem levar nada, e não haviam sido identificados até a noite de sexta.

Cidade de Deus. Um dia após a operação que terminou com quatro pessoas mortas na Cidade de Deus (zona oeste do Rio), nesta sexta-feira a polícia realizou mais uma ação na favela em busca dos responsáveis pela morte do capitão Stefan Cruz Contreiras, chefe do Serviço Reservado do 18º BPM (Jacarepaguá), morto durante uma tentativa de assalto na manhã de quinta-feira, 3. Até a noite desta sexta não havia registro de presos nem de feridos. Houve tiroteios, mas menos duradouros do que na quinta-feira.

Leme. Na manhã desta sexta-feira houve intenso tiroteio nas favelas Babilônia e Chapéu Mangueira, no Leme (zona sul). Nos últimos dois meses, duas facções criminosas disputam o controle da venda de drogas nessas comunidades. Nesta sexta, policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Chapéu Mangueira e Babilônia faziam ronda de rotina pela comunidade quando foram atacados a tiros por supostos traficantes. Houve intenso tiroteio. Os criminosos fugiram e os PMs apreenderam duas pistolas, dois carregadores, munições de fuzil modelo AK-47, radiotransmissores, roupas camufladas e quantidade não informada de drogas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.