FABIO MOTTA/ESTADÃO
FABIO MOTTA/ESTADÃO

Testemunha afirma que tiro contra estudante morto na Maré partiu da polícia

Testemunha prestou depoimento à polícia nesta quinta e reforçou o que mãe ouviu da própria vítima. 'Não tinha troca de tiros na comunidade', disse à TV Globo

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

22 Junho 2018 | 20h48

RIO - Uma pessoa que viu o estudante Marcus Vinícius Silva, de 14 anos, ser baleado a caminho da escola, no complexo de favelas da Maré, na zona norte do Rio, na manhã de quarta-feira, 20, e chegou a socorrer o adolescente, levando-o em seu próprio carro à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro, prestou depoimento à Delegacia de Homicídios na noite de quinta-feira, 22. Ela afirmou que não havia confronto na rua entre policiais e criminosos e confirmou que o disparo partiu de policiais. A versão é a mesma contada pela mãe de Marcus Vinícius, que ouviu a história narrada pelo próprio filho antes de morrer.

+ Polícia diz estar empenhada para esclarecer a morte de adolescente no Rio

“De bandido não tinha troca de tiro na rua. A única coisa que tinha dando tiro dentro da comunidade era o helicóptero (da polícia), de cima para baixo. Não tinha troca de tiro na comunidade. As únicas pessoas que tinham na rua eram eles (policiais), porque a rua estava vazia”, afirmou a testemunha à TV Globo.

Segundo a testemunha, os policiais atiraram contra o estudante em um momento em que não havia confrontos: “Tinha acalmado. Na hora em que ele saiu da travessa, onde o colega mora, ele chegou ali na esquina e foi atingido. Eles deram um tiro em cima do garoto, entendeu? Ele estava com roupa de escola, com mochilinha nas costas”, contou, conforme a TV Globo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.