Carlos Eduardo Cardoso/Agência O Dia
Carlos Eduardo Cardoso/Agência O Dia

Tiroteio deixa 5 mortos e perfura reservatório de água no Rio

Caixa d’água jorrava sem parar e abastecimento teve de ser interrompido após confronto no Morro Jorge Turco, zona norte

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

20 de fevereiro de 2015 | 09h29

Atualizado às 14h40

RIO - Um tiroteio entre policiais do Batalhão de Operações Policiais (Bope) e traficantes deixou cinco mortos na comunidade Jorge Turco, em Rocha Miranda, na zona norte do Rio de Janeiro, na manhã desta sexta-feira, 20. Os tiros perfuraram um reservatório da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), localizado no alto do morro. Segundo a PM, a ação do Bope prosseguia no local até as 10h40 desta sexta-feira. Dois homens foram presos e um fuzil e quatro pistolas foram apreendidos.

De acordo com a Cedae, o fornecimento de água para o reservatório já foi cortado para evitar o desperdício. Assim que terminar a operação policial, técnicos serão encaminhados ao local para realizar os reparos necessários, afirmou a empresa.

Na manhã desta sexta-feira, por causa da operação policial, a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer do Rio determinou a suspensão de atividades e o fechamento da Vila Olímpica Félix Mielli Venerando, em Honório Gurgel. O centro desportivo fica nas proximidades da comunidade Jorge Turco.


Zona oeste. Já em Senador Camará, um policial militar foi baleado e uma pessoa morreu durante um ataque de criminosos em na madrugada desta sexta-feira. De acordo com a Polícia Militar, por volta de 1h, homens em motos abordaram o carro onde estava o PM, lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), e mais duas pessoas. O terceiro ocupante do veículo está desaparecido. Não se sabe ainda se houve tentativa de assalto.

Atingido na perna e nas costas, o policial foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, de acordo com a PM. Outra pessoa que estava no carro também foi baleada e não resistiu aos ferimentos. A polícia procura agora o terceiro ocupante do veículo, que desapareceu durante o crime. O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios (DH).

Tudo o que sabemos sobre:
Rio de JaneiroViolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.