Traficante foi convencido pela mãe a se entregar à polícia

Segundo policiais, criminoso apelidado de Mister M era o braço-direito do chefe do tráfico do Alemão

Rodrigo Burgarelli, de O Estado de S.Paulo,

27 Novembro 2010 | 19h41

RIO - Após ser convencido pela mãe evangélica, o traficante Diego Raimundo da Silva Santos, de 25 anos, se entregou neste sábado, 27, para a Polícia. Ele era conhecido como Mister M e, segundo os policiais, era o braço-direito do chefe do tráfico no Complexo do Alemão, Luciano Martiniano da Silva, o Pezão. Para se entregar, Santos chegou a furar o bloqueio do Exército na entrada do complexo e só se encontrou com os policiais a alguns quilômetros ali, num ponto pré-combinado.

 

Veja também:

link Tiroteio e incêndio na entrada do Complexo do Alemão

link Chegada de presos causa tumulto em delegacia no Rio

link PM vai entrar no Complexo do Alemão, diz comandante geral

link Dez presos do Rio chegam a penitenciária de Catanduvas

link Cinco civis são baleados no Alemão; 39 morreram desde domingo

link Chefe do CV e mais 500 estão no Complexo do Alemão, estima polícia

link Cabral agradece Forças Armadas

link Oito presos no Rio serão levados para Catanduvas

link Perda de espaço motiva ataques do tráfico, dizem analistas

link 'Não quero indenização. Queria minha filha', lamenta pai

especial Eduardo Paes: 'não podemos é esmorecer'

blog Patrícia Villalba: E o Capitão Nascimento com isso?

mais imagens Veja fotos da onda de ataques no Rio

video Vídeo - Bope troca tiros no Complexo do Alemão

forum Presenciou algum ataque? Conte-nos como foi

 

Tanto a fuga quanto a rendição foram articuladas pela comerciante Nilza Maria, de 57 anos e mãe de dez filhos - entre eles, um pastor, um jogador de futebol júnior e o traficante rendido. "Não aceitava o fato de ele fazer essas coisas", disse ela. Nilza afirma que sempre tentou convencê-lo a se "converter", mas que só conseguiu quando viu os blindados da Marinha e do Exército cercarem o Complexo do Alemão. "Nunca vi uma coisa dessas, botar tanque de guerra na rua."

 

Mas para Santos se entregar não bastou apenas descer o morro. Nilza preferiu levá-lo a policiais que conheceu quando alguns de seus filhos participaram de um programa para jovens. Para isso, ela entrou em uma Kombi com quatro dos filhos, subiu o Morro da Grota, apanhou Santos, desceu da favela, furou o bloqueio do Exército e partiu para o asfalto. "Foi uma bênção de Deus tudo ter dado certo", resumiu.

 

Finalmente, por volta das 15 horas, o grupo se encontrou com os policiais em uma rua próxima à Avenida Lobo Júnior, na Penha. Santos era foragido da Justiça desde 2008, quando dois mandados de prisão - um por associação ao tráfico e outro por roubo de veículos - foram expedidos pela Justiça contra ele. O traficante foi levado para a 6ª DP (Cidade Nova). no Centro e será transferido para a Polinter do Grajaú.

 

Segundo o delegado Luís Alberto Andrade, titular da delegacia, a rendição deve ter sido decidida após a fala do comandante da Polícia Militar, o coronel Mário Sérgio Duarte, dando um ultimato para os traficantes do Alemão que não se rendessem. "Acredito que eles tomaram a decisão certa. Acho até que as outras mães deveriam fazer o mesmo e convencer os filhos a se entregarem", disse. E Nilza concorda. "Peço que as outras mães, se tiverem a chance, tentem converter os filhos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.