Tragédia das chuvas deixa 827 mortos na Região Serrana do Rio

Boletim da Polícia Civil indica que 12.163 pessoas perderam suas casas e 18. 079 foram forçadas a abandonar seus lares

Efe,

26 de janeiro de 2011 | 00h13

RIO - Pelo menos 827 pessoas morreram e mais de 30.242 tiveram de deixar seus lares por causa das chuvas que há duas semanas castigaram a Região Serrana do Rio de Janeiro, informaram nesta terça-feira, 25, fontes oficiais.

Na cidade de Nova Friburgo, a mais afetada pelas chuvas, 399 morreram, enquanto em Teresópolis as equipes de resgate resgataram 335 corpos, de acordo com um boletim da Polícia Civil, divulgado pela Agência Brasil.

 

As demais vítimas fatais vêm de Sumidouro (21) e São José do Vale do Rio Preto (4).

O boletim indica que 12.163 pessoas perderam suas casas e 18.079 se viram forçadas a abandonar seus lares e se alojar temporariamente em abrigos ou casas de parentes, segundo um comunicado da coordenação da Defesa Civil fluminense.

 

As equipes de resgate continuam a busca de corpos soterrados pelo deslizamento de terras e inundações nos municípios castigados pelas chuvas na Região Serrana Rio.

 

O corpo de bombeiros distribuiu 359.430 litros de água e 334 toneladas de alimentos não-perecíveis, além de produtos de higiene pessoal para as vítimas.

As doações estão sendo transportadas por caminhões de bombeiros e da Polícia Militar.

 

Já em São Paulo, onde na madrugada de segunda-feira, 24, outras duas pessoas perderam a vida por causa das chuvas, voltou a chover com intensidade nesta terça-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.