Travesti passista da Beija-Flor é morta em Nilópolis

Travesti passista da Beija-Flor é morta em Nilópolis

Corpo da vítima foi encontrado em Duque de Caxias com sinais de tortura; Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense investiga

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

26 Janeiro 2015 | 10h23

RIO DE JANEIRO - Claudio da Silva, de 25 anos, travesti conhecida como Piu que era passista da escola de samba Beija-Flor, foi encontrada morta com sinais de espancamento e seis perfurações de tiros. Piu desapareceu na última quinta-feira, 22, após sair de casa para ir ao ensaio da agremiação. A família só conseguiu notícias dele no sábado, quando localizou seu corpo no Instituto Médico Legal (IML) de Duque de Caxias, outra cidade da Baixada.

Na internet foram postadas imagens da tortura a que Claudio foi submetido, supostamente no Morro da Mina, em Nilópolis. Usando perfis falsos, pessoas afirmaram em rede social que Piu havia ido até o morro a mando de milicianos. Familiares negam que ele tivesse qualquer ligação com criminosos.

O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense, que vai ouvir familiares.

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.