Trem descarrila e deixa pelo menos 42 feridos no Rio

Último vagão da composição saiu do trilho quando seguia para a Central do Brasil, a principal da cidade

Pedro Dantas, de O Estado de S. Paulo,

30 Novembro 2007 | 09h49

O descarrilamento de um vagão de trem deixou 42 feridos nesta sexta-feira, 30, no Méier, na Zona Norte do Rio. O acidente aconteceu por volta das 8h35m quando a composição, que saiu de Bangu (zona oeste) para a Central do Brasil, se aproximava da estação. O último vagão saiu dos trilhos, tombou para o lado direito, derrubou uma viga de sustentação e destruiu parcialmente uma pilastra da passarela de acesso à plataforma. Houve pânico entre os passageiros para deixar o trem e algumas pessoas foram pisoteadas.   "Ouvimos o barulho e logo entramos em pânico. Alguns passageiros pensaram que era um incêndio e começou a correria para deixar o vagão. As pessoas se empurravam e pisavam nas outras. Minha filha caiu no vão entre o trem e a plataforma quando saía do trem. Ela machucou os braços e as pernas", contou a empregada doméstica Rosângela Gomes de Almeida, de 47 anos. Atendidas no Hospital Salgado Filho, ela e a filha Solange Almeida Gomes, 28, foram liberadas.   De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, todos os 42 atendidos no hospital, situado em frente à estação, foram liberados até o final da tarde. As vítimas tinham escoriações leves pelo corpo.   Após o acidente, a concessionária Supervia chegou a divulgar que não houve feridos. A informação foi desmentida pelo Hospital Salgado Filho e pelo Corpo de Bombeiros. "Socorremos pelo menos 35 pessoas. Todas com escoriações leves e muitas em crise nervosa", disse o subcomandante do quartel do Corpo de Bombeiros do Méier, major Hélio Lima.   Apesar de atingida pelo trem, a passarela de acesso a plataforma ainda era usada por algumas pessoas mesmo com a estação interditada após o acidente. A circulação dos trens nos ramais Deodoro, Japeri e Santa Cruz registrou atrasos de 15 minutos. Segundo a Supervia, o tráfego foi normalizado ao meio-dia, mas a estação foi liberada parcialmente para desembarque às 16 horas, somente no sentido Zona Oeste e Baixada Fluminense. A liberação total dependerá do parecer dos técnicos da Defesa Civil.   A tragédia provocada por acidentes de trens está viva na memória dos moradores do Rio. No dia 30 de agosto, dois trens colidiram a 200 metros da estação de Austin, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Um trem era de carga, mas a outra composição estava lotada de trabalhadores . O choque matou oito pessoas e deixou 101 feridos.   Texto ampliado às 18h12 para acréscimo de informações.

Mais conteúdo sobre:
acidente de trem Supervia Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.