Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Três morrem durante confrontos na zona norte do Rio; tiroteio assusta Rocinha

Mortes aconteceram no Morro do Urubu, em Pilares, e no Morro Jorge Turco, em Coelho Neto. Tiros assustaram moradores da Rocinha, na zona sul

Renata Agostini e Renata Batista , O Estado de S.Paulo

24 Junho 2018 | 15h47
Atualizado 25 Junho 2018 | 18h19

RIO - Pelo menos três pessoas morreram na noite de sábado, 23, em confrontos próximos a favelas da zona norte do Rio de Janeiro. Neste domingo, 24, um tiroteio assustou moradores da Rocinha, maior comunidade da zona sul da cidade. Moradores relataram ter ouvido tiros entre 15h e 17h30 na região conhecida como Vila Verde. 

+ Segurança mobiliza 2 mil homens em operação na zona sul do Rio 

A Polícia Militar confirmou os episódios e informou que a situação estava estabilizada no início da noite deste domingo. Mais cedo, o Morro do Chapéu Mangueira, no Leme, também na zona sul, foi alvo de uma operação conduzida por equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope). No dia anterior, traficantes de facções rivais tinham trocado tiros numa comunidade vizinha, o Morro da Babilônia, deixando um morto e um ferido. De acordo com a Polícia Militar (PM) a ação policial terminou sem prisões ou apreensões. 

Na zona norte, no Morro do Urubu, em Pilares, dois homens foram baleados após trocar tiros com policiais do Batalhão de Choque na noite de sábado. Segundo informações da PM, policiais realizavam patrulhamento em uma rua próxima à comunidade quando se tornaram alvo de disparos. Houve troca de tiros e dois suspeitos de tráfico de drogas foram baleados. Ambos foram levados ao Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, bairro próximo ao local onde ocorreu o confronto, mas não resistiram aos ferimentos. A PM informou ainda ter apreendido um fuzil e uma pistola. 

A alguns quilômetros dali, no Morro Jorge Turco, em Coelho Neto, um morador da comunidade morreu após ser atingido por tiros. Policiais do 9º BPM, de Rocha Miranda, relataram que foram chamados ao local do crime quando faziam patrulhamento na Avenida dos Italianos. A PM afirmou não ter feito operação naquela comunidade na noite de sábado. Agentes da Delegacia de Homicídios fizeram a perícia e investigam a ocorrência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.