Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Um dia após megaoperação policial, Morro dos Macacos amanhece com tiroteios

Criminosos trocaram tiros na parte alta da comunidade, mas não há registro de vítimas ou prisões; no Cantagalo, troca de tiros deixou um ferido

Bibiana Borba e Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2017 | 07h10
Atualizado 07 Outubro 2017 | 10h35

Moradores do Morro dos Macacos, na Vila Isabel, zona norte do Rio de Janeiro, registraram intensas trocas de tiros na comunidade entre o final da madrugada e a manhã deste sábado. Conforme publicações em redes sociais, a favela amanheceu ao som de disparos de armas pesadas, com ruas vazias e comércios fechados devido ao temor da população. Não há registro de mortos ou feridos.

Os tiroteios acontecem menos de 24 horas depois de uma megaoperação policial, com apoio das Forças Armadas, na qual foram doze criminosos foram detidos. "Dá pra ouvir aqui do Grajaú!! É guerra", disse um morador em comentário no Facebook, onde foram divulgados vídeos com o barulho dos tiros. "Que Deus proteja nosso Morro dos Macacos que estava na maior paz", publicou uma jovem no Twitter.

De acordo com a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Macacos, criminosos de grupos rivais trocaram tiros na parte alta da comunidade. O policiamento foi reforçado na região, mas, segundo a polícia, não há informações sobre prisões ou apreensões até o momento.

+ Filho do pedreiro Amarildo é preso em casa com uma pistola

Cantagalo. Já no morro do Cantagalo, em Copacabana, zona sul do Rio, um homem ficou ferido numa troca de tiros entre policiais e criminosos por volta das 6 horas da manhã deste sábado. Segundo a UPP instalada nas favelas do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, policiais faziam patrulhamento de rotina pela Estrada do Cantagalo, na altura do Beco do Mituca, quando foram atacados por bandidos armados. O ferido foi levado ao Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, também na zona sul da cidade. O policiamento foi reforçado na região do tiroteio.

Rocinha. Na madrugada desta sexta-feira, na Rocinha, outro tiroteio deixou ao menos dois criminosos mortos e uma adolescente ferida por bala perdida. Na semana passada, logo após o fim do cerco militar na favela, dois adolescentes foram torturados por integrantes de uma das facções que disputam o controle do tráfico na região. Os criminosos envolvidos no confronto teriam se espalhado por outras favelas do Rio, como o Morro dos Macacos e o Morro São Carlos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.