EFE
EFE

União da Ilha aposta em humor e crítica a padrões de beleza

A criatividade do carnavalesco Alex de Souza não foi suficiente para compensar o orçamento curto

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

17 de fevereiro de 2015 | 03h44

A União da Ilha fez um desfile bem-humorado com críticas à ditadura da beleza, mas muito simples – a escola está longe de disputar um lugar entre as primeiras colocadas.

O desafio aos padrões de beleza começou na comissão de frente. A atriz Cacau Protásio incorporou a “Preta de Neve”. Ela foge do estereótipo de beleza, e é sedutora, encantadora. É isso o que a Ilha quer mostrar", disse o coreógrafo Patrick Carvalho. Cacau vinha acompanhada de sete anões e uma bruxa. A performance cativou o público.

O enredo “Beleza Pura?” era recheado de críticas. Tratava da ditadura da moda, com a personagem Olívia Palito, vestindo Dior e Chanel. Criticava o excesso de malhação – um carro alegórico trazia os suplementos alimentares “Hein Protein?” e “Cretina”. Uma ala lembrava que “quem ama o feio bonito lhe parece”, com personagens como Edward Mãos de Tesoura, o corcunda de Notre Dame, o fantasma da ópera e Shrek.

Mas a criatividade do carnavalesco Alex de Souza não foi suficiente para compensar o orçamento curto. Algumas fantasias eram tão simples que lembravam o desfile do grupo de acesso. O segundo carro, sobre as belas artes, começou a se desmontar durante o desfile. Terminou com o neon de uma das hastes pendurado e apagado. Fantasias muito pesadas tiraram integrantes do desfile.

Tudo o que sabemos sobre:
CarnavalRio de JaneiroUnião da Ilha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.