Vereador de Magé, no RJ, é assassinado em estacionamento

Conhecido na cidade como Geraldão, o vereador, de 41 anos, foi atingido por pelo menos dois tiros, na cabeça e no tórax

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

14 Janeiro 2016 | 13h17

RIO - O vereador de Magé (Região Metropolitana do Rio) Geraldo Cardoso Gerpe (PSB), de 41 anos, foi assassinado na noite de quarta, 13, no estacionamento da Câmara Municipal. Conhecido na cidade como Geraldão, o vereador foi atingido por dois tiros, na cabeça e no tórax.

O crime ocorreu por volta das 22h, quando Geraldão saiu de seu gabinete no prédio da Câmara e foi ao estacionamento em busca de um documento. Um homem que estava escondido disparou duas vezes, matando o parlamentar no local. Um policial civil que presenciou o crime chegou a perseguir e trocar tiros com o suspeito, mas ele conseguiu fugir.

O crime é investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, que não descarta a possibilidade de motivação política para o assassinato. Geraldão estava em seu primeiro mandato. Foi eleito em 2012 com 2.316 votos. Ele presidia uma comissão que investigava ilegalidades na folha de pagamento da prefeitura.

O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal, e testemunhas foram ouvidas nesta quinta pela delegacia especializada. Policiais procuram imagens de câmeras de segurança.

A mulher de Geraldão, Thais Gerpe, publicou mensagem na manhã desta quinta no Facebook comentando a morte do marido. “Hoje as lágrimas que escorrem de meus olhos são de lembranças boas que vivi ao lado de um ser humano tão especial! Peço ao Senhor que olhe com misericórdia para aqueles que em um ato de crueldade tiraram a vida do meu marido! Aonde vamos parar, meu Deus? Essa violência sem limites, ceifando vidas!”, desabafou.

Sequência. Magé é município famoso no Estado do Rio pelo assassinato de políticos locais. Em março de 2012, o vereador Antônio Carlos da Silva Pereira (PMDB), o Tunico Pescador, foi morto com oito tiros na praia de Mauá. O homem que o acompanhava ficou ferido. Em fevereiro de 2007 o vereador Dejair Correia (PDT) foi assassinado na praia de Piedade. Em agosto do ano anterior, a vítima foi o vereador Carlos Alberto do Carmo Souto (PSC), morto a tiros em um bar no distrito de Piabetá. /COLABOROU FÁBIO GRELLET 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.