Câmara Municipal de Maricá
Câmara Municipal de Maricá

Vereador Ismael Breve e filho são mortos a tiros em Maricá

Crime aconteceu dentro da casa do político; há dois meses, dois jornalistas foram mortos na cidade da região metropolitana do Rio

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

22 de agosto de 2019 | 10h01
Atualizado 22 de agosto de 2019 | 16h36

RIO - O vereador Ismael Breve (DEM), de 59 anos, e um filho dele, Thiago Marins, foram assassinados no fim da madrugada desta quinta-feira, 22, em Maricá, na região metropolitana do Rio de Janeiro. O crime aconteceu dentro da casa do político, no bairro Zacarias.

Segundo informações da Polícia Militar, policiais do 12º BPM (Niterói) foram acionados no início da manhã. Eles encontraram o vereador e o filho já sem vida, atingidos por disparos de arma de fogo.

Em notas, a prefeitura e a Câmara Municipal de Maricá lamentaram o crime. 

"A Câmara decreta luto oficial de três dias e por isso a Casa de Leis permanecerá fechada neste período. A Câmara pede a apuração dos fatos", diz trecho do Legislativo.

"O vereador Ismael Breve era um agente público interessado e compromissado com a melhoria da qualidade de vida da população. Sua morte trágica, tanto quanto a de seu filho, Thiago Marins, enluta e revolta a todos os que, com eles, pensavam na vida parlamentar a serviço daqueles mais necessitados", considerou o Executivo. "A prefeitura reafirma a necessidade das autoridades policiais de darem respostas imediatas e elucidar os fatos que motivaram tal brutalidade."

O presidente estadual do DEM, Cesar Maia, divulgou texto em que se solidariza com os familiares e pede mais "entendimentos" na política e não "atos definitivos e covardes".

"Brutalmente assassinados, o vereador do DEM Ismael Breve e seu filho Thiago Marins são duas vidas a mais na galopante escala de crimes ocorridos recentemente na cidade de Maricá. É tempo de mais política, mais diálogo, mais conversa… menos violência, menos desencontros. A política precisa de entendimentos e não de atos definitivos e covardes como esses", diz parte do comunicado.

Assassinato de jornalistas em Maricá

Há pouco mais de dois meses, dois jornalistas de Maricá especializados na cobertura política da cidade também foram mortos: Romário Barros foi assassinado a tiros quando entrava em seu carroRobson Giorno, por sua vez, foi executado perto de casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.