Reprodução
Reprodução

Vídeo mostra grafiteiros sendo agredidos com barras de ferro no Rio

Os três jovens, que não foram identificados, afirmam que voltavam de um evento em Santa Teresa quando foram abordados por cinco homens; trio acusa seguranças da Saara

Alfredo Mergulhão, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2016 | 11h42

RIO - Três jovens foram espancados com barras de ferro após serem confundidos com pichadores, no centro do Rio. Eles afirmam que são grafiteiros e voltavam de um evento em Santa Teresa, na região central da cidade, quando aconteceram as agressões, na noite de quinta-feira, 21. O trio acusa seguranças da Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega (Saara), um centro de comércio popular próximo à estação ferroviária Central do Brasil.

As agressões foram filmadas e divulgadas em redes sociais. As imagens primeiro mostram os três jovens de cuecas, sentados no chão e pintados de branco. Em seguida, um dos agressores passa tinta vermelha em spray no rosto deles.

"Deita aí, esfrega na tinta", diz um dos agressores. "Se olhar para mim vou estourar a tua cara", grita outro.

Depois, o vídeo mostra quando os três rapazes recebem golpes com uma barra de ferro. "Cadê a barra de ferro? Me dá a barra de ferro que eu já sujei o meu tênis", pede outra pessoa.

No fim da sessão de espancamento, os agressores mandam os jovens repetirem: "Nunca mais quero saber do Saara. Não passo no mais no Saara para fazer minha arte".

Os rapazes carregavam tinta na mochila, mas negam que tenham feito qualquer pichação. No Facebook, um dos agredidos publicou uma foto com o pé engessado após o espancamento. Ele escreveu que o grupo foi abordado "por cinco acéfalos na madrugada, que nos espancaram com barras de ferro por nos estereotipar como vândalos. Tive duas fraturas na perna e nem quero postar fotos do resto do corpo, que está coberto de hematomas".

Uma foto, que também circula em redes sociais, mostra os três jovens agredidos ao lado de um homem que veste colete preto e segura uma barra de ferro.

Procurada, a Saara ainda não se manifestou. Em nota, a Polícia Civil informou que um procedimento para apurar as circunstâncias do fato, assim que tomou conhecimento do vídeo. O caso é investigado pela 4ª Delegacia de Polícia (Praça da República). "Os agentes realizam diligências para identificar as vítimas para que possam prestar depoimento. Os policiais analisam as imagens para identificar os autores da agressão", diz o texto. 

A prática do grafite foi descriminalizada no Brasil em fevereiro de 1998, quando entrou em vigor a Lei Federal 9.605. No Rio, há inclusive o Dia do Grafite, celebrado em 27 de março. A data foi instituída no dia 18 de fevereiro do ano passado, em decreto assinado pelo prefeito Eduardo Paes, e integra o calendário oficial de datas e eventos da cidade.

Confira abaixo o vídeo, obtido pelo REC Notícias:

 

Mais conteúdo sobre:
Saara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.