Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Vídeo mostra moradores da Cidade de Deus negociando com policiais para buscar corpos dos filhos

PM diz para a família iniciar a busca depois das 10 horas. A mãe se revolta. “Meu filho está aqui dentro. Eu tenho de procurar. Vou procurar meu filho agora”, ela grita

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

20 Novembro 2016 | 13h43

Um vídeo publicado pelo CDD Acontece nas redes sociais, um perfil que noticia acontecimentos na Cidade de Deus,  mostra o desespero de uma mulher, que tenta negociar com policiais militares para procurar o corpo do filho na comunidade.

Ela está em uma região conhecida como brejo, atrás do Condomínio Itamar Franco, na Favela do Caratê. O policial orienta os moradores a não entrarem na região naquele momento porque ele estava sem comunicação com outras equipes.

O PM diz para a família iniciar a busca depois das 10 horas. A mãe se revolta. “Meu filho está aqui dentro. Eu tenho de procurar. Vou procurar meu filho agora”, ela grita.

O policial diz para entrarem depois das 10 horas e ela reage:. “Não tem como. Meu filho está aí dentro do mato. Morto. Morto! O sangue é meu. Eu sou mãe. Eu vou entrar”. 

Mortos. Pelo menos sete corpos foram encontrados no interior da favela Cidade de Deus, na zona oeste do Rio de Janeiro, na manhã deste domingo, 20. As mortes teriam acontecido em confronto durante operação que começou na noite deste sábado, 19, depois da queda do helicóptero da Polícia Militar, que deixou quatro mortos.

Depois da queda da aeronave, a cúpula da Segurança decidiu ocupar a comunidade por tempo indeterminado. 

Na manhã deste domingo, técnicos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) estiveram no local do acidente e recolheram fragmentos do helicóptero. A aeronave já foi removida do local. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.